Pepe é o novo técnico do Guarani

José Macia, o Pepe, foi contratado como o técnico do Guarani para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série A de 2003. Ele chega a Campinas para substituir Giba, que entrou em comum acordo com a diretoria do Guarani e optou por entregar o cargo, na sexta-feira. Pepe, que assinou contrato até o fim do Campeonato Brasileiro em bases não reveladas, fez um ótimo trabalho à frente da Portuguesa Santista nesse Paulistão, levando o time às semifinais. A Santista, aliás, eliminou o Guarani nas oitavas-de-final do campeonato.Assim como fez na Santista, o auxiliar-técnico escolhido pelo treinador foi seu filho, Alexandre Macia, o Pepinho. Na partida de volta da Copa do Brasil, diante do Vila Nova-GO, nesta quarta-feira, no Brinco de Ouro da Princesa, o time será comandado interinamente pelo gerente de futebol Neto Ferreira.O novo técnico será apresentado aos jogadores nesta terça-feira e sua estréia no comando do time acontece apenas no sábado, na primeira partida no Brasileiro contra o Vasco da Gama-RJ, em Campinas. Pepe, três passagens pelo Guarani, na década de 90 - 91, 95 e 96. "Em todas as passagens que tive em Campinas sempre fui feliz e espero fazer um bom trabalho novamente", disse o treinador, referindo-se principalmente aos acessos com Guarani e Ponte Preta para a Série A do Brasileiro nos anos de 91 e 97, respectivamente .Em relação ao elenco bugrino, ele afirmou que já conhece alguns jogadores e que o time tem condições de fazer uma boa campanha no nacional. "Temos um bom elenco e podemos fazer um bom trabalho", afirmou. O presidente do Guarani, José Luiz Lorencetti, disse que Pepe era o nome certo para o clube neste momento. Para ele, o carisma do treinador e sua fama de "contador de histórias" vão ajudar muito. "É um técnico competente, experiente, que tem carisma e que todos respeitam pelo que já fez no futebol. Ele é o "paizão" que os jogadores necessitam", disse o presidente.Pepe tem 68 anos e se vangloria de ser um dos profissionais mais premiados do futebol brasileiro. Já foi campeão paulista pela Internacional de Limeira, em 1986, e pelo São Paulo, em 1987. Pelo time do Morumbi também conquistou o título brasileiro em 1986, coincidentemente, sobre o Guarani, no Brinco de Ouro. O histórico jogo final terminou empatado em 3 a 3 e decidido nas penalidades máximas.

Agencia Estado,

24 de março de 2003 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.