Pepe faz um pedido: mais uma vitória

Uma vitória para se despedir de cabeça erguida do Campeonato Paulista, domingo cedo, na Vila Belmiro. Esse é o último pedido de Pepe aos jogadores da Portuguesa Santista, após a goleada por 5 a 0 que o time sofreu diante do São Paulo, quinta-feira à noite, no Morumbi. Agora, sem a responsabilidade de ter que conseguir a classificação, o técnico acredita que a equipe vai voltar a jogar como nas seis primeiras partidas da fase de classificação. "Temos que encerrar a nossa participação de uma maneira digna de quem foi o terceiro time da competição, ficando ao lado do trio-de-ferro (São Paulo, Palmeiras e Corinthians)", disse Pepe aos jogadores, hoje à tarde, na reapresentação em Ulrico Mursa. "É difícil reverter esse quadro - a Portuguesa Santista precisa ganhar de 5 a 0 para se classificar -, mas não é impossível", discordando da opinião do presidente do seu clube, Carlos Alberto Amado Costa, que afirma que a Santista já está fora. "Ele falou bobagem." Pepe lembrou também que o resultado da Portuguesa Santista no jogo de volta com o São Paulo interessa ao clube que se classificar na outra semifinal porque em caso de uma nova vitória, o time de Oswaldo Oliveira se tornará campeão paulista com dois empates ou com uma derrota e uma vitória (com a mesma diferença de gols). Enquanto alguns jogadores repetiam, hoje à tarde, que o time poderia até surpreender o São Paulo se tivesse procurado jogar mais ofensivamente, Pepe admite que a sua decisão de colocar mais um jogador alto na defesa (André Astorga), tirando Nelsinho, para tentar neutralizar as jogadas aéreas do adversário, acabou não dando certo. "Eles entraram tocando a bola e não teve jeito. Corinthians ou Palmeiras não é adversário para o São Paulo, que é um time muito forte.Talvez só o Santos tivesse condições de superá-lo numa final", resignou-se o técnico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.