Pereira e André jogam com entusiasmo

Apesar da situação delicada do Corinthians no Paulista, dois jogadores entram em campo neste sábado à tarde em Limeira bastante empolgados com o momento que vivem no clube: o lateral-esquerdo André Luís e o volante Pereira. Amigos desde os tempos dos amadores do São Paulo, eles se consideram beneficiados com a contratação do técnico Wanderley Luxemburgo, há um mês. Os dois, que estavam até na lista de dispensa do clube, no início da temporada, deixaram a reserva e passaram a fazer parte dos planos do treinador. "Finalmente, estou tendo o reconhecimento no Corinthians", disse Pereira, contratado, em agosto, do Colo Colo, do Chile, por US$ 2,5 milhões, com a missão de ocupar a vaga deixada por Vampeta, que havia se transferido para o futebol europeu. Pereira foi pouco escalado pelos três treinadores que antecederam a Luxemburgo: Oswaldo Alvarez, o Vadão, Candinho e Dario Pereyra. Este último nem relacionava Pereira para a reserva, que vivia dos elogios do amigo André Luís. "Ele é melhor nos passes do que Vampeta", dizia o lateral-esquerdo. Por coincidência, André Luís teve, em seguida, o mesmo destino de Pereira: o desprezo. Contratado um pouco antes do que o companheiro (ele veio em junho do Tenerife, da Espanha), André Luís imaginou que teria, de imediato, o mesmo sucesso da sua primeira passagem pelo Corinthians antes de se transferir para a Europa. Foi ele quem marcou o gol que deu o título de campeão paulista de 1997 para o clube do Parque São Jorge, na decisão contra o São Paulo. Mas na volta do clube, André Luís perdeu a posição para a Kléber, e em dezembro até pensou em rescindir seu contrato com o Corinthians, que vence em junho. Com Luxemburgo, André Luís não só recuperou a posição, como se tornou ainda uma opção do treinador para atuar no meio-de-campo. "Para melhorar mesmo, só falta o time sair da situação e lutar ainda pela classificação", disse André Luís.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.