Bruno Cantini / Atlético-MG
Bruno Cantini / Atlético-MG

Peres diz que acusação contra Robinho pode afetar negociação com Santos

Entretanto, novo presidente santista diz não saber se antecessor negociava com jogador do Atlético-MG

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017 | 11h58

Presidente eleito para comandar o Santos nos próximos três anos, José Carlos Peres destacou, em suas primeiras declarações após a votação, o desejo de aproximar o clube dos ídolos recentes, caso de Robinho, hoje perto de sair do Atlético Mineiro. O dirigente destacou, porém, o processo judicial enfrentado pelo jogador na Itália pode levar a nova diretoria a desistir de contratá-lo.

+ Eleito, Peres promete definição rápida de técnico do Santos e quer time ofensivo

+ Novo presidente do Santos promete trabalhar para reatar relação com Neymar

Robinho foi condenado em novembro a nove anos de prisão em primeira instância pela Justiça italiana por "violência sexual em grupo". Ele nega a acusação e vai recorrer. A acusação se deu por um incidente que teria ocorrido em 2013, quando o atacante defendia o Milan, e envolveu uma jovem albanesa em Milão.

Peres admitiu preocupação com a possibilidade de uma eventual condenação definitiva de Robinho atingir a imagem do Santos. "Temos que privilegiar a marca do Santos e trazer as mulheres para o estádio. Mas o Robinho tem todo o direito de se defender e a Vila e o CT são a segunda casa dele. Não abriremos mão da imagem do Santos e temos, inclusive, que expandi-la", afirmou o dirigente eleito em entrevista à ESPN Brasil.

Recentemente, torcedoras do Atlético-MG colocaram faixas em frente à sede social do clube, em Belo Horizonte, cobrando um posicionamento oficial da diretoria sobre a condenação de Robinho.

Com contrato até o final de 2017 com o Atlético-MG, Robinho parece estar de saída do clube, pois rejeitou a primeira oferta salarial para renovação do seu vínculo, algo que abriria caminho para o Santos buscar o seu retorno.

De acordo com Peres, ele ainda não sabe se o presidente Modesto Roma Júnior negociava a contratação de Robinho, o que deverá tomar conhecimento nesta terça-feira, quando terá uma reunião para iniciar a transição no comando do Santos. "Temos que preservar imagem do clube, que não pode ser marcada por uma condenação. Espero que o Robinho não seja culpado e ele tem que se defender", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.