Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos

Peres lamenta saída de Cuca do Santos e descarta desentendimentos com o técnico

Treinador confirmou que não fica no clube em 2019 por causa de problema no coração

Estadão Conteúdo

23 de novembro de 2018 | 19h06

O anúncio da saída de Cuca para 2019 foi lamentado pelo presidente do Santos, José Carlos Peres. Depois de o treinador revelar que deixará o clube ao fim da temporada para tratar de um problema cardíaco, o dirigente se disse triste pelo momento e exaltou a trajetória do técnico no time alvinegro.

"Com tristeza que a gente fala, porque trata-se de uma situação ruim. O Cuca chegou e estabelecemos o objetivo de que o time ficasse em uma zona confortável, sem possibilidade de descenso. A arrancada foi tao boa que o patamar mudou para ir para uma zona de conquista de vaga na Libertadores", lembrou nesta sexta-feira.

Ao longo dos quatro meses de relação, no entanto, Peres e Cuca travaram alguns entreveros. O treinador não poupou críticas à gestão do Santos em algumas oportunidades, principalmente após a eliminação na Libertadores com a escalação irregular de Carlos Sánchez, quando o presidente respondeu: "Ele toca o futebol e nós, a administração".

"Eu e o Cuca não brigamos nunca, isso precisa ficar claro", disse Peres, no que Cuca questionou: "Nós discutimos, né?". "Discutimos, mas brigar nunca. Jogamos como um time, uma família. Sempre que tínhamos uma divergência, pequena que fosse, falávamos isso. Em uma família, nem sempre se pensa igual, mas a gente perdoa. Eu errei mais do que ele. Peço que Deus ilumine o Cuca", completou o presidente.

O desencontro de opiniões entre Cuca e Peres ainda aconteceu em uma última oportunidade nesta sexta, quando o presidente cravou: "Ele já se colocou à disposição para nos ajudar, ninguém conhece esse elenco mais do que ele. Até na escolha do novo técnico ele vai nos ajudar, orientar". Ao que o treinador retrucou: "É brincadeira dele, obvio que não vou participar disso".

Cuca pode não ter participado, mas o nome de Abel Braga já ganhou força na Vila Belmiro para ocupar sua vaga. E questionado sobre o assunto, o técnico aconselhou seu possível substituto. "Pode vir, a terra é muito boa aqui para trabalhar. Mas a montagem tem que passar por ele. A hora de trabalhar o ano que vem é agora."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.