Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Peres reconhece falta de orçamento no Santos e diz que queria contratar Nenê

Presidente do time diz que busca realizar a gestão mais profissional possível

Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2018 | 11h46

A demissão de Gustavo Vieira do cargo de executivo de futebol apenas dois meses após a sua contratação para exercer a função ainda repercute no Santos. Após a queda do dirigente, ocorrida na noite de terça-feira, o presidente José Carlos Peres se pronunciou sobre o tema através de um comunicado oficial divulgado pelo clube.

+ Demitido, Gustavo Vieira critica disputa política e impasse financeiro no Santos

+ Santos oficializa a contratação do lateral-esquerdo Dodô

Peres, que foi eleito para o cargo em dezembro de 2017, confirmou a informação de que o Santos ainda não tem o seu orçamento definido. O impasse foi citado pelo filho de Sócrates como uma das razões que inviabilizaram a chegada de mais reforços ao time, incluindo a fracassada negociação para tirar o meia argentino Lucas Zelarayán do mexicano Tigres.

"O orçamento do clube, de fato, ainda passa por ajustes. A nova gestão, mais uma vez, busca fazer diferente do habitual no Brasil de gastar para depois buscar a receita. A nova gestão, repetimos, busca ser profissional, exatamente como tanto tem sido clamado em nosso país. Nesse sentido, reconhecemos, às vezes as coisas acontecem em uma velocidade abaixo do que gostaríamos. Mas entre fazer corretamente no tempo certo ou permitir a continuidade dos erros crassos na velocidade habitual do futebol, o torcedor santista terá a tranquilidade de que seguiremos a primeira opção, preservando a história de um dos maiores clubes do mundo", afirma Peres no comunicado intitulado "Nota de esclarecimento", direcionado a responder informações publicadas pelo blog de Juca Kfouri.

O presidente santista também revelou que desejava que o clube contratasse o meia-atacante Nenê, que estava no Vasco e recentemente se transferiu para o São Paulo, mas desistiu da negociação diante da opinião contrária de Gustavo Vieira. "Peres recebeu de Gustavo a decisão de não contratar Nenê e, como não resolve as coisas na canetada, acatou, a despeito de discordar e querer, sim, o jogador", comentou.

Além disso, Peres defendeu o trabalho que o advogado Daniek Bykof vem desempenhando como assessor da presidência do Santos e assegurou que o técnico Jair Ventura, que assumiu o comando do Santos no começo desta temporada, tem o apoio irrestrito da direção do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.