Nelson Perez/Fluminense FC
Nelson Perez/Fluminense FC

Perfeito nos pênaltis pelo Fluminense, Dourado garante: 'Fico nervoso em todos'

Atacante tem 11 gols em 11 cobranças na temporada, e só errou uma vez na carreira, em 2014, pelo Palmeiras

Estadão Conteúdo

19 Outubro 2017 | 17h42

Em um Campeonato Brasileiro repleto de pênaltis perdidos, Henrique Dourado segue perfeito da marca da cal. O aproveitamento do jogador, aliás, é irretocável desde que chegou ao Fluminense, no ano passado. Em 2017, foram 11 penalidades batidas pelo atacante e 11 gols marcados. A tranquilidade passada, no entanto, fica apenas na imagem, segundo ele mesmo.

+ Abel exalta luta do Fluminense em vitória sobre o São Paulo e distância da degola

"Fico nervoso em todos os pênaltis. Não tem pênalti em que você fica mais tranquilo. Eu faço a minha oração para que Deus me dê muita tranquilidade. Procuro esquecer que o estádio tem muitas pessoas e imagino como se estivéssemos só eu e o goleiro. Como se estivesse dentro de um aquário e não tivesse nada em minha volta. E realmente não escuto nada, só na hora que a bola entra gol mesmo que escuto a torcida", declarou nesta quinta-feira.

Dourado lembra-se de ter perdido somente um pênalti ao longo de toda sua carreira, em 2014, ainda com a camisa do Palmeiras, diante do Atlético-MG. E na ocasião, o árbitro mandou voltar a primeira cobrança, convertida pelo jogador. O talento do atacante foi novamente benéfico ao Fluminense na última quarta, quando ele abriu o caminho para o triunfo por 3 a 1 sobre o São Paulo justamente em uma penalidade.

A vitória levou a equipe a 38 pontos, deixando as últimas colocações e subindo para décimo. São cinco pontos de diferença para o Flamengo, que neste momento fecha a zona de classificação para a Libertadores. Mas Dourado deixou claro que o primeiro objetivo do Fluminense é mesmo acabar com qualquer possibilidade de rebaixamento.

"Tínhamos como meta somar sete pontos nos últimos três jogos e conseguimos. Agora, é continuar com os objetivos para nos distanciarmos ainda mais. Esses dois jogos contra Avaí e São Paulo eram confrontos diretos, as vitórias em casa foram fundamentais. Conseguimos somar esses pontos que vão nos ajudar bastante lá na frente", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.