Permanência de atacante no São Paulo segue indefinida

A diretoria do São Paulo tinha esperança de que neste sábado resolveria de vez a situação do atacante Ricardo Oliveira. Uma decisão do Al-Jazira, clube dos Emirados Árabes Unidos que detém os direitos federativos do jogador, era aguardada por todos, mas ela não veio. A situação é simples. O clube recebeu duas propostas pelo jogador. Para ter Ricardo por mais um ano, o São Paulo ofereceu o atacante Mazola em definitivo. Já o Santos propôs pagar aos árabes R$ 1 milhão para ter o atacante pelo mesmo período.

MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

11 de dezembro de 2010 | 20h05

O Al-Jazira prefere o dinheiro do Santos, já que pagou 14 milhões de euros para contratá-lo do Betis no ano passado e quer recuperar ao menos uma parte do investimento que fez no jogador. O atacante, porém, prefere o São Paulo. E o técnico do Al-Jazira, Abel Braga, gostou do envolvimento de Mazola na negociação, já que abriu mão de Ricardo Oliveira ao saber que ele não queria voltar ao clube.

O xeque Hamdan Bin Zayed Al-Nahyan, dono do clube árabe, deverá se pronunciar sobre o assunto até a próxima terça-feira, mas o São Paulo já sabe que, além de Mazola, terá de colocar dinheiro no negócio para não perder Ricardo Oliveira para o Santos.

De férias em São Paulo, o atacante ainda aguarda uma decisão. Neste sábado, ele não recebeu nenhuma ligação dos dirigentes são-paulinos, que o estão informado sobre o andamento do negócio constantemente. O diretor de futebol do clube tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, que está à frente da negociação, ficou incomunicável durante todo este sábado, sem responder os recados deixados pela reportagem em seu telefone celular.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloRicardo Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.