Divulgação/Boca
Divulgação/Boca

Perto da retomada da Libertadores, Boca Juniors confirma 18 casos de coronavírus

Clube argentino vive surto da doença enquanto aguarda jogo com o Libertad, dia 17, pela competição continental

Redação, Estadao Conteudo

03 de setembro de 2020 | 13h11

A poucos dias da retomada da Copa Libertadores, marcada para o próximo dia 15, o Boca Juniors convive com um surto do novo coronavírus no elenco. A direção do clube argentino confirmou no final da noite de quarta-feira, em um comunicado oficial, que 18 jogadores apresentaram resultado positivo de covid-19 nos testes RT-PCR realizados nesta semana, além de oito funcionários.

De acordo com a nota oficial emitida nas redes sociais, foram detectados quatro casos positivos sintomáticos leves, seis com sintomas leves e que hoje se encontram assintomáticos, além de oito assintomáticos. Todos eles foram submetidos aos processos de isolamento social e, em breve, voltarão a ser testados.

No último dia 31, a diretoria do Boca Juniors havia confirmado um surto de novo coronavírus em seu elenco, mas sem divulgar o número de jogadores e outros profissionais infectados. E frisou que os jogadores serão submetidos a novos testes, além de exames cardíacos, antes de serem liberados para voltar aos treinamentos. O restante dos jogadores - os poucos que não tiveram infecção confirmada - retomarão às atividades nos próximos dias.

A equipe de Buenos Aires - assim como outros times argentinos - voltou a treinar no dia 10 de agosto, depois de cinco meses sem atividades por conta da pandemia do novo coronavírus. As competições nacionais na Argentina ainda não têm data definida para a retomada. Assim, apenas as equipes que disputarão torneios continentais, casos da Libertadores e da Copa Sul-Americana, voltaram a trabalhar.

O Boca Juniors tem a sua volta aos gramados marcada para o próximo dia 17, quando enfrentará o Libertad, no Paraguai, pelo Grupo H da Libertadores. O time está com toda a delegação isolada em seu CT, em Buenos Aires, desde o começo da semana. O técnico Miguel Ángel Russo deixou o local por ter 64 anos e ter se recuperado recentemente de um câncer, estando no grupo de risco para a covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.