Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Perto de recorde na Libertadores, Zé Roberto se anima no Palmeiras: 'É uma honra'

Lateral de 42 anos vai se tornar o segundo jogador mais velho da história da competição

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2017 | 19h03

A carreira do lateral-esquerdo Zé Roberto, do Palmeiras, terá nesta quarta-feira mais um feito. Ao entrar em campo na partida da Copa Libertadores contra o Tucumán, no Allianz Parque, o jogador de 42 anos e 10 meses vai se tornar o segundo mais velho a atuar na história da competição, feito que lhe manifestar surpresa durante a entrevista coletiva nesta terça-feira, na Academia de Futebol.

"É algo que nunca pensei que alcançasse na minha carreira atuando por um grande equipe. Projetei jogar até os 35, 36 anos, mas a carreira se prolongou porque cuidei dela, da minha parte física", afirmou o lateral. Zé Roberto vai completar 43 anos em julho e na partida desta quarta vai superar a marca do ex-goleiro colombiano Mondragón, que em 2014 defendeu o Deportivo Cali aos 42 anos, nove meses e 18 dias.

O único que aparece na frente de Zé Roberto no quesito idade é o ex-atacante peruano Vicente Villanueva. Na década de 1960 o então jogador do Sporting Cristal disputou o torneio aos 43 anos e 10 meses. Para igualar a marca, o palmeirense teria de renovar o contrato novamente e entrar em campo em alguma partida da competição do ano que vem próximo ao mês de julho, quando completa aniversário.

"Se eu não acompanhasse essa geração, estaria vendo TV e comendo pipoca. Por eu sempre ter mentalizado como foco na minha carreira o físico, consegui me estender no futebol de forma surpreendente", afirmou o jogador. "Tenho 23 anos de carreira como profissional, um tempo que é maior do que a idade de muitos do nosso grupo. É uma honra", brincou Zé Roberto.

O veterano do Palmeiras citou os títulos conquistados na carreira no futebol alemão e pela seleção brasileira para lembrar que a Libertadores é uma lacuna. "Pela idade e pelo momento meu e do clube, se ganhar neste ano, seria o título mais importante da minha carreira", disse Zé Roberto, que planeja se aposentar do futebol em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.