Juanjo Martín/ EFE
Juanjo Martín/ EFE

Perto de título, direção do Real Madrid pede que torcida não comemore nas ruas

Na liderança do Espanhol faltando apenas mais duas rodadas a serem disputadas, uma vitória sobre o Villarreal já garante a taça

Redação, Estadao Conteudo

14 de julho de 2020 | 16h26

A direção do Real Madrid divulgou nesta terça-feira um comunicado oficial em seu site e nas redes sociais no qual pede aos seus torcedores que não festejem na quinta o possível título do Campeonato Espanhol nas ruas, especialmente na praça Cibeles, em Madri, tradicional local de comemoração dos merengues. Na liderança com quatro pontos a mais (83 a 79) que o Barcelona e apenas mais duas rodadas a serem disputadas, uma vitória sobre o Villarreal, em casa, já garante a taça.

"Todos estamos conscientes da difícil situação que vivemos e do esforço que a sociedade está fazendo para combater os efeitos da pandemia da covid-19. O futebol também está contribuindo para isso e, entre todos, conseguimos recuperar a competição num contexto enormemente complexo", explicou a direção do Real Madrid no comunicado oficial.

]Caso realmente conquiste o título nesta quinta-feira, os jogadores não irão para os tradicionais locais de celebração, especialmente à praça Cibeles. "Nesse sentido, todos devemos contribuir, como até agora, com absoluta responsabilidade para evitar riscos de contágio da pandemia", prosseguiu a nota.

"O Real Madrid se sente obrigado a realizar esse apelo importante em um exercício de máxima responsabilidade e com a convicção de que qualquer vitória possível para a nossa equipe não deve ser um grande passo atrás na luta de todos contra isso (pandemia do novo coronavírus)", finalizou.

A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF, na sigla em espanhol) enviou uma circular a todas as instâncias do futebol com a orientação de se evitar celebrações em casos de títulos ou de promoções de divisão. A federação e a prefeitura de Madrid pediram a máxima colaboração de todos os envolvidos para levar a mensagem adiante e assim manter a segurança sanitária.

"Defendemos que a celebração não seja na Cibeles, que não se faça aglomerações, que as celebrações sejam nas varandas. Que estiquem as bandeiras do Real Madrid nos balcões, com aplausos. Mas, na medida do possível, de verdade, que as pessoas não se aproximem da (praça) Cibeles", afirmou o prefeito de Madri, José Luis Martínez Almeida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.