Pedro Souza/ Atlético-MG
Pedro Souza/ Atlético-MG

Perto do fim do mandato, Sette Câmara avalia que 'precisava ouvir mais a torcida'

Presidente vive momento de incerteza sobre eventual reeleição; sob seu comando, time conquistou o Campeonato Mineiro de 2020

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2020 | 21h00

Se antes já contava com a reeleição, hoje o presidente do Atlético Mineiro, Sérgio Sette Câmara, não tem tanta certeza assim sobre seu futuro. As eleições no clube alvinegro acontecem no próximo mês e ainda está em aberto quem deverá tomar conta da gestão dos próximos três anos.

Em depoimento à TV Galo, canal oficial da equipe, Sette Câmara fez uma avaliação sobre todo o tempo em que foi o presidente da equipe, e também fez uma reflexão sobre seu arrependimento, que foi não ter dado ouvidos à torcida. O mandatário foi bastante criticado por sua torcida durante este período.

"Quem estiver aqui (na presidência do clube) tem que estar preparado para ser criticado", analisou Sette Câmara. "vejo que precisava mesmo ouvir mais a torcida do que eu ouvia no início do meu mandato. Mas é assim, é uma evolução na vida", completou.

Em um tom de incertezas sobre se continua no comando da equipe, o dirigente destacou a dificuldade de gerir um time do tamanho do Atlético-MG. "Ser presidente de um clube como o Atlético, é uma tarefa muito difícil, mas eu acredito que tenho desempenhado um papel honrado e condizente com uma função tão importante que me foi atribuída pelo Conselho Deliberativo."

No comando dele, o clube alvinegro faturou apenas uma taça: do Campeonato Mineiro de 2020. Neste ano, no Campeonato Brasileiro, treinado por Jorge Sampaoli, o Atlético-MG surge como um dos grandes favoritos para a conquista, que não acontece desde 1971, primeiro e único.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.