Peru se contenta com empate no Equador

A altitude de Quito (2.800m acima do nível do mar) assusta tanto a seleção peruana que o técnico Paulo Autuori admitiu que ficaria feliz com um empate na partida desta quarta-feira, contra o Equador, às 19h45 (horário de Brasília). "Meus jogadores se desgastaram muito no jogo contra o Brasil e é sempre complicado jogar na altitude, porque compromete a condição física dos atletas. Por isso, um empate não seria mau resultado", afirmou o treinador brasileiro que dirige o Peru.Para tentar minimizar os efeitos da altitude, a delegação peruana se concentrou em Guayaquil, que fica ao nível do mar e a 275 quilômetros de Quito. O embarque para a capital equatoriana será quatro horas antes da partida.Autuori não poderá contar com o meia Solano, autor do gol no empate com o Brasil. Suspenso, ele será substituído por Zegarra. E dificilmente poderá escalar o lateral-esquerdo Hidalgo, com uma lesão muscular na coxa esquerda.O colombiano Hernán Darío Gómez, que dirige o Equador, terá a equipe completa. Por uma questão de estratégia, ele poupou Obregón e Reasco na derrota de sábado diante do Paraguai - os dois estavam pendurados e o treinador considerava mais importante ter a força máxima no jogo em casa."O time que entrará em campo é o melhor que eu já tive desde que cheguei ao Equador", disse Gómez, que classificou o país para seu primeiro Mundial nas Eliminatórias passadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.