Ernesto Benavides / AFP
Ernesto Benavides / AFP

Peru tem feriado nacional após faturar vaga na Copa do Mundo

Fim dos 36 anos de espera para voltar a disputar uma Copa veio com a vitória por 2 a 0 sobre a Nova Zelândia

Estadão Conteúdo

16 Novembro 2017 | 18h20

Um dia histórico e de comemorações em doses cavalares. A quinta-feira no Peru, dia seguinte à classificação ao Mundial de Rússia, foi de êxtase completo. O fim dos 36 anos de espera para voltar a disputar uma Copa veio com a vitória por 2 a 0 sobre a Nova Zelândia, em Lima, pela repescagem, e contagiou até os mais altos escalões do governo.

+ Fifa define divisão das seleções nos potes para o sorteio da Copa

O resultado levou o Ministério do Trabalho do Peru a decretar feriado, com a aprovação do Presidente da República, Pedro Pablo Kuczynski. A medida foi anunciada dias antes do jogo decisivo e tem como objetivo liberar os cidadãos para curtirem a classificação histórica. O Peru não disputa uma Copa do Mundo desde 1982. Nenhum jogador da seleção atual sequer havia nascido nessa época.

O dia de folga dos trabalhadores do país ganhou um incentivo de uma das principais operadoras locais de telefonia celular. A empresa prometeu aos usuários liberar o uso de dados para publicações de vídeos e fotos nas redes sociais durante toda a quinta-feira.

 

A comemoração dos torcedores lotou as ruas e se estendeu aos políticos. O presidente do país comemorou: "Esperamos mais de 35 anos para estar novamente em um Mundial. Obrigado, guerreiros, por essa alegria. Vamos comemorar com responsabilidade", disse.

 

O colega argentino, Maurício Macri, também deixou uma mensagem: "Estou muito feliz pela comemoração do Peru à Copa. Felicidades ao querido povo peruano", afirmou.

 

O ex-jogador argentino Diego Maradona cumprimentou no Twitter o técnico Ricardo Gareca. Os dois jogaram juntos pela seleção argentina na década de 1980. O ex-camisa 10 disse ser merecida a classificação peruana à Rússia.

 

Na euforia da comemoração, o autor do gol que abriu o placar, Farfán, se envolveu em uma confusão durante a madrugada. Agredido por um torcedor bêbado, o atacante revidou. O incidente foi registrado em vídeo e publicado nas redes sociais.

 

RECLAMAÇÃO - A seleção da Nova Zelândia se queixou depois do jogo do tratamento recebido em Lima durante a preparação. O técnico da equipe, Anthony Hudson, afirmou que na noite anterior à partida, os jogadores não conseguiram descansar porque houve foguetório do lado de fora do hotel.

 

"Pela manhã, ainda uns caças com as cores da bandeira do Peru passaram perto da concentração, fazendo barulho. Só prosseguimos porque estávamos determinados a lutar pela classificação", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.