Lynne Sladky/AP Photo
Lynne Sladky/AP Photo

Peru x Brasil deve ter transmissão apenas no pay-per-view, mas Globo ainda tenta acordo

Por enquanto, o jogo da próxima terça-feira, válido pelas Eliminatórias, vai passar apenas no canal EI Plus

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2020 | 10h14
Atualizado 11 de outubro de 2020 | 13h18

A Turner acertou a compra dos direitos de transmissão das duas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar. Com isso, a empresa vai passar o jogo entre Peru e Brasil, que acontecerá na terça-feira, às 21h (horário de Brasília), em Lima, em seu canal de pay-per-view, o EI Plus. Por enquanto, com exclusividade, mas a Rede Globo ainda tenta um acerto. 

Assim, neste momento, quem quiser assistir ao jogo do Brasil contra o time comandado por Ricardo Gareca, ex-Palmeiras, vai precisar assinar o canal de streaming, que custa R$ 13,90 por mês. A Turner ainda estuda a possibilidade de exibir o jogo no canal TNT, na TV fechada.

Na quinta-feira da semana passada, a empresa já exibiu os jogos iniciais das Eliminatórias no EI Plus. A Rede Globo ainda espera exibir a partida e negocia com a Federação Peruana. O SBT também demonstrou interesse, mas está um pouco mais distante das negociações.

O acerto da Turner com a Federação Peruana não tem direito de exclusividade. Ou seja, qualquer outro veículo pode comprar a transmissão da partida. Na última sexta-feira, o Brasil estreou nas Eliminatórias com goleada sobre a Bolívia, na Neo Química Arena, em Itaquera, em jogo que passou na TV Globo e SporTV, já que a Rede Globo acertou exclusividade nesta partida.

A Globo tem o direito de transmitir todos os jogos das seleções brasileira e argentina com mandantes na competição. A Turner passou os jogos da primeira jornada e passará da segunda rodada. A polêmica sobre os direitos de transmissão se dá pelo fato de a Fifa (que neste caso é representada pela Conmebol) ter alterado a forma de negociação. Antes, o interessado em passar as partidas acertava a compra dos direitos da competição. Agora não é mais assim. O canal precisa negociar diretamente com cada federação nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.