Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Pesquisa da Fifa aponta que 63,7% dos torcedores são a favor da Copa do Mundo a cada dois anos

Ampliação do estudo sobre a realização dos mundiais masculino e feminino com uma maior frequência é divulgada nesta sexta-feira; seleções sul-americanas na Liga das Nações enfraquece mudança

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2021 | 17h59

A Fifa divulgou nesta sexta-feira, dia 17, os resultados da ampliação de uma pesquisa sobre a periodicidade da Copa do Mundo. De acordo com a entidade, 63,7% dos torcedores entrevistados gostariam que o mundial fosse realizado com uma maior frequência, enquanto 11% se colocaram contra e 2% não souberam responder. A federação tem o desejo de fazer o torneio a cada dois anos ao invés de quatro, mas a crítica de federações, como a Conmebol e a Uefa, colocam o plano em xeque.

Os números também são favoráveis no que diz respeito à Copa do Mundo feminina. Segundo a Fifa, 52,4% gostaria que os mundiais da categoria acontecessem em um menor espaço de tempo, com 28,4% votando contra e outros 13,5% sem opinar. 

A faixa etária que mais se mostrou favorável à mudança ficou entre 25 a 34 anos. Os entrevistados acima de 55 foram os que mais se colocaram contra a ideia. A África foi o continente com a maior margem de respostas simpáticas à alteração (76% no mundial masculino e 61% no feminino), enquanto a Europa foi a que menos concordou com a ideia (48% e 33%, respectivamente). 

A pesquisa foi realizada entre agosto e novembro e contou com 77 mil entrevistados. Em maio, 166 associações vinculadas à Fifa votaram pela realização de um estudo de viabilidade para uma Copa do Mundo bienal. As pesquisas foram realizadas a partir de julho, envolvendo mais de 100 mil pessoas de 140 países.

Apesar da boa receptividade na mudança de calendário, a mudança pode não ser tão simples. Nesta sexta-feira, a Uefa e Conmebol — contrárias à mudança — anunciaram uma parceria para que as seleções sul-americanas disputem a Liga das Nações a partir de 2024, o que foi visto como um duro golpe para as pretensões da Fifa. 

Segundo Arséne Wenger, ex-treinador e atual diretor de desenvolvimento da Fifa, o ciclo bienal da Copa do Mundo teria início em 2028, com os campeonatos internacionais de seleções, como a a Eurocopa ou a Copa América, acontecendo em duas janelas, em outubro de um ano e em março do ano seguinte. Ao término da temporada europeia, aconteceriam, alternadamente, Copa do Mundo e competições continentais.

A Fifa se diz empenhada em ser um fórum de discussão significativo envolvendo uma ampla gama de partes interessadas, incluindo torcedores, e espera se envolver em discussões sobre o crescimento sustentável do futebol em todas as regiões do mundo e em todos os níveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.