Glauco de Pierri/Estadão
Glauco de Pierri/Estadão

'Pessoas de todos os países golpearam o motorista', diz testemunha após atropelamento

Acidente em Moscou, capital da Rússia, deixou algumas pessoas feridas perto da Casa Mexicana

Glauco de Pierri e Jamil Chade, enviados especiais / Moscou, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2018 | 16h46

Uma testemunha que estava no local do incidente neste sábado, em Moscou, contou ao Estado que pessoas de todos os países perseguiram a pé o taxista, depois de o motorista atropelar pessoas numa das ruas do centro da capital russa.

+ Cueva isola pênalti e Peru perde para a Dinamarca na estreia da Copa

+ Messi perde pênalti, e Argentina empata com a Islândia na estreia da Copa

O incidente ocorreu no início da noite. Um vídeo mostra como o taxista, numa rua parada pelo trânsito, desviou de uma fila de carros, subiu numa calçada e atropelou pessoas que passavam por ali. O carro apenas parou ao se chocar contra um poste. 

O incidente ocorreu nas proximidades da Casa Mexicana, uma espécie de centro cultural do país latino-americano. Raul, um mexicano que estava no local, relatou o que viu. “Estávamos na Casa Mexicana e, de repente, queríamos sair e nos disseram que não poderíamos por conta de um acidente”, disse. “Vimos pessoas jogadas no chão. Eram mexicanos, russos e de muitos países”, afirmou. 

Segundo ele, a pessoa tentou escapar. “As pessoas foram as primeiras que começaram a golpear o rapaz. O tiraram do carro. Foram pessoas de todos os países, que viram o que ele fez”. 

 

Para ele, “não há dúvidas” de que se tratou de um “atentado terrorista”. “É lamentável, porque estamos em um ambiente de futebol, de harmonia. Que pena que exista gente psicopata com vontade de atacar as pessoas”, disse.

As autoridades russas anunciaram que o motorista declarou que "adormeceu" ao volante.  Pouco antes, pelas redes sociais, o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, reforçou a tese do acidente. “Houve um incidente desagradável com um taxi. O motorista perdeu controle”, escreveu. 

Pelo menos oito pessoas ficaram feridas e o motorista foi detido. Cinco delas foram levadas ao hospital. Mas não correm risco de morte. Apenas uma das mulheres feridas teria sofrido lesões mais importantes.  

A Embaixada do México em Moscou confirmou que dois dos feridos eram torcedoras mexicanas. Mas indicam que apenas tiveram “lesões leves e que seu estado de saúde é estável e fora de perigo”. 

De acordo com as autoridades, o motorista era do Quirguistão, um ex-república soviética de maioria muçulmana. A polícia indicou que, sob custódia, ele garantiu que seu ato não foi voluntário. Uma investigação criminal foi aberta. Segundo a agência estatal Interfax, o motorista estaria bêbado. 

“Ambulâncias chegaram à cena do caso sete minutos depois do acidente. Por enquanto, oito pessoas foram identificadas como feridas. Sete delas estão em condições satisfatórias, enquanto uma mulher está em uma condição moderada”, declarou os serviços de saúde de Moscou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.