Peter Kenyon vai deixar o Chelsea após mais de 5 anos

O Chelsea anunciou nesta quarta-feira que Peter Kenyon está deixando o cargo de diretor executivo depois de mais de cinco anos trabalhando no time inglês. O dirigente trocou o Manchester United pelo time londrino em 2004 e vai deixar o Chelsea no dia 31 de outubro.

AE, Agencia Estado

16 de setembro de 2009 | 14h40

Kenyon, porém, deve continuar no Chelsea, mas sem um cargo executivo. Isso permitirá que ele represente o time inglês em reuniões na Uefa e da Associação de Clubes Europeus.

"Acho que realmente construímos um clube em um tempo relativamente curto, que pode estar na vanguarda do futebol europeu por muitos anos. Isso é uma grande conquista", disse Kenyon, em comunicado oficial. "Também estou satisfeito que a nossa relação não tenha terminando e eu possa continuar a contribuir para a manutenção do Chelsea nessa posição e voltar a visitar os amigos", completou.

Kenyon começou a trabalhar no Chelsea depois que Roman Abramovich adquiriu o clube. Nesse período, o clube foi campeão inglês duas vezes e foi derrotado na final da Liga dos Campeões da Europa de 2008. Após a derrota para o Manchester United, ele foi criticado por ter ido com os jogadores receber uma medalha pelo vice-campeonato.

"Peter fez um trabalho fantástico no Chelsea nos últimos cinco anos e meio e foi absolutamente fundamental para o

sucesso dentro e fora do campo que tivemos durante esse tempo", elogiou Bruce Buck, presidente do Chelsea. "Sem o seu conhecimento de futebol e perspicácia empresarial, o Chelsea não estaria onde estamos hoje".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolChelseaPeter Kenyon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.