PF desconhece participação de Heber

O promotor do Gaeco, Roberto Porto, foi surpreendido pela revelação feita nesta quarta-feira pelo empresário Nagib Fayad na CPI dos Bingos, acusando o árbitro Heber Roberto Lopes de manipulação de resultados de jogos no Brasileirã. ?Por qual motivo ele (Nagib) não citou o nome do Heber Roberto Lopes em seu depoimento na Superintendência da Polícia Federal? Por que só contaria isso agora? Acho tudo muito estranho?, afirmou.Um dos promotores que investigam o escândalo na arbitragem, Roberto Porto garante que nas 20 mil horas de conversas telefônicas gravadas pela PF sobre o caso em nenhum momento aparece o nome de Heber Roberto Lopes. ?Nem tampouco qualquer um dos depoentes ouvidos até agora mencionou seu nome?, garantiu. De acordo com as informações obtidas pela PF e pelo Gaeco, apenas os ex-árbitros Edílson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon teriam aceitado manipular partidas. ?Não há ainda nenhum indício que nos leve a outro árbitro ou ao nome de qualquer dirigente ou pessoa ligada aos clubes de futebol?, revelou o também promotor do Gaeco, José Reinaldo Guimarães Carneiro.Os promotores, que não descartam convocar Heber Roberto Lopes para depor na PF, recomendam cautela ao analisar as declarações de Nagib Fayad na CPI. ?A gente tem de ter o pé atrás em relação aos interesses de um acusado em qualquer crime?, disse Roberto Porto.A convite do deputado Silvio Torres (PSDB-SP), Roberto Porto e José Reinaldo Carneiro estarão nesta quinta-feira, às 9h30, na Câmara dos Deputados, em Brasília, para prestar esclarecimentos sobre o escândalo na arbitragem.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2005 | 20h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.