PF prende árbitro após escândalo

O árbitro Edilson Pereira de Carvalho e o empresário Nagib Fayad foram presos, na manhã deste sábado, após a revelação, feita pela revista Veja, de envolvimento em um esquema de manipulação de resultados em jogos na atual temporada ? incluindo o Campeonato Brasileiro ? para beneficiar grupos de apostadores. Paulo José Danelon, ligado à Federação Paulista de Futebol, é acusado de fazer parte da quadrilha e está sendo investigado.Edilson, que compõe o quadro da Fifa ? Ricardo Teixeira, presidente da CBF, vai enviar na segunda-feira comunicado à entidade máxima do futebol pedindo o seu afastamento do quadro de árbitros ?, foi preso em sua casa, em Jacareí, interior de São Paulo. Ele não resistiu à prisão. Calmo, esticou os braços e foi algemado. Ainda de algemas, Edilson chegou à sede da Polícia Federal às 8 horas e seguiu para fazer exames médicos no Instituto Médico Legal. E retornou por volta das 10 horas.Nagib seria o líder de um esquema de fabricação de resultados que teria como focos principais São Paulo e Piracicaba. Nessas duas cidades, atuaria o grupo que desde o início do ano estaria fraudando resultados para lucrar com apostas em dois sites: Aebet e Futbet.Os integrantes desse consórcio investiam somas milionárias nas loterias eletrônicas ? e não regulamentadas. Para não correr riscos de grande prejuízo ? havia apostas de até R$ 200 mil ? recorriam à colaboração de árbitros de futebol. Edilson, que trabalhou em 11 jogos do Campeonato Brasileiro deste ano, receberia de R$ 10 mil a R$ 15 mil por cada partida.Edilson e Nagib foram recebidos no primeiro andar da PF pelo delegado de plantão, Protégenes Queiróz, o mesmo que cuida do cado do ex-prefeito Paulo Maluf. Ainda pela manhã, chegaram os promotores José Reinaldo Guimarães Carneiro e Roberto Porto, que também investigam a MSI, parceira do Corinthians.Três crimes - A juíza Antonia Brasilina de Paula Farah decretou a prisão temporária de Edilson e Nagib pelo prazo de cinco dias. ?Há suficientes indícios a apontar os averiguados como responsáveis por diversas fraudes (...), com o nítido propósito de fraudar o futebol brasileiro de modo a lhes trazer vantagems pecuniárias de grande monta?, diz o decreto.Edilson e Nagib podem ser acusados dos seguintes crimes: estelionato (artigo 171 do Código Penal), falsificação ideológica (art. 299) - formação de quadrilha - e indizimento à especulação (art.174) - crime contra a economia popular.A juíza termina seu decreto de prisão a Edilson e Nagib da seguinte forma: ?Causa espanto e indignação as condutas relativas ao auto. O povo e a imprensa, notadamente a crônica esportiva, fazem papel de otário. A imprensa, porque acredita estar trabalhando com gente séria, e o povo, por ter no futebol a esperança de uma vida melhor. Principalmente a classe social de baixa renda, que projeta no futebol a esperança de um futuo melhor, mas lamentavelmente acabam se deparando com tamanha desfaçatez.?Veja todos os jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho no Brasileirão:08/05 - Vasco 0 x 1 Botafogo 02/07 - Ponte Preta 1 x 0 São Paulo 16/07 - Paysandu 1 x 2 Cruzeiro 24/07 - Juventude 1 x 4 Figueirense 31/07 - Santos 4 x 2 Corinthians 07/08 - Vasco 2 x 1 Figueirense 10/08 - Cruzeiro 4 x 1 Botafogo 14/08 - Juventude 2 x 0 Fluminense 21/08 - Internacional 3 x 2 Coritiba 07/09 - São Paulo 3 x 2 Corinthians 10/09 - Fluminense 3 x 0 Brasiliense

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.