PF toma conta da sede do Vasco

Depois de encontrar resistência do Vasco, ontem, para executar o mandado de apreensão e busca em São Januário, a Polícia Federal montou uma operação de guerra para cumprir a ordem judicial de recolher livros e balanços contábeis do clube carioca. Acompanhados por dois assessores da CPI do Futebol, 30 agentes da PF chegaram à sede vascaína, por volta das 9h45 desta quinta-feira, com sirenes ligadas e armados até com metralhadoras. No momento, eles estão controlando quem entra e sai do local e já foram recolhidos vários documentos.A demonstração de força da PF foi uma resposta aos atos do Vasco na tarde de quarta-feira, quando apenas 8 policiais e os dois assessores da CPI tentaram recolher os documentos requisitados pela Justiça Federal. Houve muita confusão, bate-boca e a direção do clube fez de tudo para impedir a busca em São Januário. Tanto que o trabalho foi adiado para esta quinta-feira.Hoje, o clima parece estar mais calmo, apesar de todo o aparato policial. O presidente do Vasco, o deputado federal Eurico Miranda (PPB-RJ), chegou a São Januário uma hora antes da batida da PF e não teve como evitar a ação. Por isso, ele já seguiu para Brasília, onde tenta cassar o mandado de busca na Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.