PF vai ouvir atletas sobre passaportes

A Polícia Federal em São Paulo vai ouvir os jogadores brasileiros envolvidos no escândalo dos passaportes portugueses falsos usados para jogar na Itália e Espanha. Eles serão intimados pela Delegacia Marítima Aérea e de Fronteiras, que em novembro do ano passado instaurou inquérito para apurar a autoria da falsificação dos documentos.Os federais querem saber a participação dos jogadores na obtenção do documento falso. Serão ouvidos Fábio Júnior (Roma, emprestado ao Palmeiras), Jeda e Dedé (Vicenza), Warley (Udinese), Jorginho Paulista (Udinese, emprestado ao Boca Júniors), Dida (Milan, emprestado ao Cruzeiro), Baiano (Las Palmas), Alberto (Udinese).Além deles, serão chamados os ex-atletas Careca e Edmar, o empresário Jimmy Martins, e, por carta rogatória, em Portugal, Hermínio Menendez, J.Caldeira e Domingos Djalo, que teriam encomendado passaportes.O delegado Luciano Pestana Barbosa é o responsável pelas investigações e pelo inquérito. Ele disse que os jogadores deverão se explicar. "Será que alguém recebe documento com informações falsas e acha normal?"Em alguns casos, para ele, os clubes teriam se encarregado de conseguir o documento, como no caso de Warley, da Udinese.Até agora, o único ouvido no inquérito foi o empresário Juan Figer, que se apresentou acompanhado do advogado Márcio Thomaz Bastos. Figer disse ao delegado que acreditava serem verdadeiros os passaportes entregues aos "seus" atletas. "Achei que os atleta tinham familiares estrangeiros e tudo era legal."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.