Philippe Coutinho é a grande esperança do Liverpool para a temporada

Em entrevista ao 'Estado', brasileiro fala sobre o ótimo momento na Inglaterra e sobre seleção brasileira

GUILHERME DORINI, O Estado de S. Paulo

17 Agosto 2013 | 08h30

SÃO PAULO - Que Philippe Coutinho vive a melhor fase de sua carreira é inegável. O que ninguém imaginava é que o brasileiro faria tanto sucesso em poucos jogos no Campeonato Inglês. Depois de passagens por Inter de Milão e Espanyol, o meia encontrou sua melhor forma no Liverpool e já conquistou não só os torcedores, mas também o técnico da equipe. Neste sábado, o Liverpool venceu o Stoke City por 1 a 0, na estreia do Campeonato Inglês.

Coutinho disputou apenas 13 partidas pelo clube inglês. Camisa 10 da equipe, fez três gols e deu três assistências. Com o ex-vascaíno, a equipe melhorou o rendimento, alcançando 64% de aproveitamento, contra 48% dos pontos possíveis antes de sua chegada, em janeiro pasado.

O brasileiro superou o uruguaio e ídolo Luis Suárez e foi eleito o melhor jogador de março e melhor jogador da pré-temporada do Liverpool. Não bastasse a vitória na eleição do site oficial, Philippe atingiu outra incrível marca: o jovem já é o jogador que mais vende camisa no clube, deixando até mesmo o ídolo e capitão Gerrard em segundo plano.

Com passagens pela seleção brasileira, o meia espera ter oportunidade nos últimos testes de Felipão e ainda sonha com uma vaga para a Copa de 2014.

Em entrevista exclusiva ao Estado, o brasileiro fala sobre sua fase na Inglaterra, como foi a adaptação e os planos da equipe para a temporada. Além disso, o meia também comenta sobre a esperança de ser convocado pela seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo de 2014.

ESTADÃO - Segundo o Liverpool, você já é o jogador que mais vende camisas do clube, deixando, inclusive, Gerrard para trás. O que você acha disso? Aumenta a pressão por boas atuações? Pensa em se tornar ídolo do clube?

PHILIPPE COUTINHO - É muito bom saber que o meu trabalho está sendo reconhecido. Mas não fico pensando nisso. Minha cabeça está apenas em ajudar o time a ir bem durante a temporada. Pressão tem em todo time grande e no Liverpool não pode ser diferente. Isso faz parte. Quanto a ser ídolo, é como eu disse antes, não penso nisso. Quero apenas poder ajudar o time.

ESTADÃO - A que se deve esse sucesso?

PHILIPPE COUTINHO - Fui muito bem recebido por todos dentro do clube. Isso é importante demais e me ajudou muito. Me sinto acolhido aqui e todos procuram se ajudar. O sucesso não é meu, mas sim do grupo que é muito bom e unido.

ESTADÃO - Na história do Liverpool, você é o quinto brasileiro a vestir a camisa vermelha, durante os 120 anos do clube. Qual é o peso e importância disso para você?

PHILIPPE COUTINHO - A importância é enorme. O Liverpool é um time de muita tradição, um gigante da Europa. Me dá muito orgulho vestir essa camisa.

ESTADÃO - Brasileiros (principalmente armadores e atacantes) nunca fizeram muito sucesso no futebol inglês. Você e o Oscar vem quebrando essa escrita. Qual é o segredo para jogar bem no futebol inglês? O que precisa para agradar o torcedor?

PHILIPPE COUTINHO - O estilo de jogo do Liverpool me ajuda muito. Jogamos com toque de bola rápido e muita velocidade do meio para frente. O que o torcedor gosta é de ver o time jogando bem e os jogadores lutando o tempo inteiro dentro de campo. A adaptação foi muito mais tranquila do que eu imaginava. E para isso foi fundamental ter sido muito bem recebido por todo o grupo. Eles me ajudam bastante.

ESTADÃO - O Liverpool é um dos times com mais títulos na Liga dos Campeões, são cinco no total. Como é ficar fora deste torneio? A pressão por parte da diretoria e dos torcedores é grande?

PHILIPPE COUTINHO - A Liga dos Campeões é a competição mais importante do mundo e qualquer um quer poder jogar. A pressão, como eu disse antes, é grande, como é em todo time grande.

ESTADÃO - Como ter feito a pré-temporada com o grupo vai facilitar sua participação na edição do Campeonato Inglês que está para começar?

PHILIPPE COUTINHO - Melhora em tudo. No condicionamento físico, no entrosamento e na parte técnica.

ESTADÃO - Quem você vê como favorito para conquistar o Inglês? Quais são as expectativas do Liverpool para esta temporada?

PHILIPPE COUTINHO - O Campeonato Inglês é uma competição muito difícil. São muitos times bons, como o Manchester United, o Chelsea, o Arsenal e o City. Mas o Liverpool está nesse bolo e nosso pensamento é sempre de buscar o título.

ESTADÃO - Como você está vendo a possível saída do Luis Suárez da equipe?

PHILIPPE COUTINHO - O Suárez é um grande jogador e já mostrou isso. Gosto muito dele e também me ajudou muito. Vamos ver como as coisas caminham. Mas ele faz falta a qualquer equipe.

ESTADÃO - Quais são seus objetivos individuais?

PHILIPPE COUTINHO - Não gosto de falar de objetivos individuais. O que vale mesmo é o desempenho do grupo. É para isso que eu trabalho.

ESTADÃO - Esta é sua melhor fase da carreira? O que foi diferente do Espanyol e Inter de Milão?

PHILIPPE COUTINHO - Posso dizer que sim. Me sinto bem dentro de campo e ao lado dos meus companheiros. No Espanyol também foi muito legal. Tive sequência de jogo e consegui render bem. Na Inter a situação era mais complicada. Gosto muito do clube, me abriu as portas na Europa, mas meu pensamento está totalmente voltado para o Liverpool.

ESTADÃO - Você foi eleito revelação do Campeonato Espanhol e mesmo assim não teve espaço na Inter de Milão. O que aconteceu?

PHILIPPE COUTINHO - A Inter tinha muitos jogadores de qualidade e aí ficava complicado ter uma sequência de jogo. Mas também foi muito bom.

ESTADÃO - Você acha que sua ida precoce para o futebol italiano te afastou da seleção brasileira?

PHILIPPE COUTINHO - Não vejo dessa forma. Ir para a Inter de Milão me ajudou em muitas coisas e ganhei experiência importante.

ESTADÃO - Você ainda sonha em disputar a Copa de 2014? Acha que o grupo está fechado, ou ainda dá tempo de conseguir uma vaga?

PHILIPPE COUTINHO - Ainda não tive a oportunidade de conversar com o Felipão, mas sei que ele está atento  a tudo que acontece no futebol mundial. Claro que eu sonho em voltar a jogar pela seleção. Disputar a Copa é um sonho que eu tenho, mas sei que primeiro tenho de mostrar serviço no meu clube. Acho que a seleção ainda não está fechada. Só depende de mim.

ESTADÃO - Caso o Liverpool não esteja bem, ou exista um distanciamento da seleção brasileira, você toparia voltar a jogar no Brasil por empréstimo para garantir vaga na Copa?

PHILIPPE COUTINHO - Não penso nisso agora. O Liverpool vem forte e tenho certeza de que faremos uma grande temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.