Philippe Coutinho comemora atuação e elogia Tite: 'Chegou dando confiança'

Meia começou pela primeira vez como titular sob o comando do novo técnico

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2016 | 00h05

Um dos destaques da seleção brasileira na goleada sobre a Bolívia, o meia Philippe Coutinho soube aproveitar a oportunidade que ganhou no time titular. Além do gol, participou intensamente da partida e fez excelentes jogadas. "Seleção é isso, quem entra tem de dar conta do recado'', disse o jogador do Liverpool, definindo-se também como "feliz'' por ter ajudado a equipe.

Nesta quinta-feira, Coutinho começou o jogo no lugar de Willian, titular com Tite contra o Equador e a Colômbia, mas que, apesar de ter sido elogiado pelo treinador por sua dedicação tática, acabou superado pelo concorrente, que entrou bem naquelas duas ocasiões. E contra a Bolívia justificou a confiança do técnico. 

Ainda assim, e mesmo considerando que talvez tenha feito sua melhor atuação com a camisa brasileira, Coutinho prefere não se considerar vitorioso na disputa, e exalta o espírito de equipe. "O Willian é um craque, muito importante para a seleção.''

Sobre a transformação da equipe após a entrada de Tite, Philippe Coutinho tem uma explicação simples e objetiva. "O treinador chegou dando confiança a todos os jogadores, mostrando o nosso valor. Deixou bem claro que todos que convoca é por merecimento, tenta falar com todos e acho que isso tem ajudado.''

O lateral-esquerdo Felipe Luis, que ontem substituiu o machucado Marcelo, disse que o Brasil goleou porque tornou fácil um jogo que poderia ter sido difícil. "Foi um grande jogo (da seleção) e temos de continuar nessa trajetória'', disse. "Estamos melhorando a cada jogo.''

O fato de o time ontem ter sido diferente das duas primeiras partidas, com quatro alterações, não fez muita diferença, de acordo com Felipe Luis. "O sistema de jogo é o mesmo, ele (Tite) passa detalhadamente como quer que o time jogue e fica mais fácil colocar em campo.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.