Sam Robles / CBF
Sam Robles / CBF

Pia aposta em 'pernas frescas' para garantir vaga da seleção feminina de futebol nos Jogos

Com a vantagem do empate, treinadora pretende fazer mudanças na equipe que encara a Zâmbia no último jogo da fase de grupos

Toni Assis, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2021 | 03h00

 

Nem Marta, nem Formiga, e nem Debinha. O grande diferencial da seleção brasileira de futebol feminino até aqui é o plantel. É com essa carta na manga que a treinadora Pia Sundhage pretende cumprir a meta de classificar o Brasil na fase de grupos das Olimpíadas de Tóquio na partida desta terça-feira, às 8h30, contra a Zâmbia, no Saitama Stadium e, assim, focar a preparação de olho nas etapas eliminatórias.

“É uma fórmula para a vitória. Conseguir usar as jogadoras do banco do jeito que estamos usando. Sempre que entram, elas estão mudando o jogo e fico muito feliz com isso”, afirmou a técnica.

Apesar de ter a mesma campanha da Holanda  (uma vitória e um empate), o Brasil figura na segunda colocação por ter um saldo de gols inferior nas duas rodadas disputadas (5 a 7). Com quatro pontos, um simples empate é suficiente para as brasileiras chegarem às quartas de final.

Preocupada em manter a motivação de todas as jogadas em alta, Pia  chegou a destacar as meninas que vem fazendo a diferença. “A Angelina, a Ludmila, a Geyze foram exemplo disso na última vez. É um momento da competição em que podemos usar pernas frescas. Temos 22 boas jogadoras e o fato de que algumas ainda não jogaram vai permitir que elas entrem e façam um bom jogo”, completou.

Com oito gols marcados na competição, a distribuição das artilheiras foi dividida em cinco peças. Marta lidera essa relação com três gols. Debinha vem logo atrás com duas bolas na rede enquanto Ludmila, Andressa Alves e Bia Zaneratto completam a lista.

“É muito importante que todas estejam jogando. Isso significa que estar no banco é se preparar para entrar.”

Apesar da fragilidade defensiva das africanas (sofreram 14 gols nas duas rodadas), uma atleta em especial está sendo observada. Barbara Banda anotou seis dos sete gols que a sua seleção fez no torneio. Aos 21 anos, a jogadora é a primeira mulher a marcar dois hat-tricks consecutivos em Jogos Olímpicos.

“Nossa defesa será um pouco diferente. Banda é uma ótima jogadora. Marcar tandos gols em dois jogos é fantástico. Então precisamos acertar nossa defesa de uma forma especial”, comentou.

A última atividade antes da partida contra a Zâmbia foi aberta para a imprensa. Após o aquecimento, o elenco foi dividido em duas partes: enquanto um grupo trabalhou em espaço reduzido, o restante fez um trabalho leve com bola.

A zagueira Rafaelle, uma das líderes da equipe, destacou o trabalho psicológico que vem deixando o plantel mais tranquilo e confiante. “Estamos evoluindo bastante. Acho que isso é nítido para todo mundo. Mas também é fruto do trabalho da Pia à frente do grupo”, encerrou.

FICHA TÉCNICA

BRASIL x ZÂMBIA

BRASIL – Bárbara: Poliana, Erika, Rafaelle e Júlia; Tamires, Duda, Formiga e Debinha; Marta e Angelina. Técnica: Pia Sundhage

ZÂMBIA –Musonda; Khosa, Mweemba, Siamfuko e Mulenga; Wilombe, Lubanoji, Belemu e Mubanga; Cjanda e Banda. Técnico: Bruce Mwape.

ÁRBITRO – Yoshimi Yamashita (JAPÃO).

HORÁRIO – 8H30 (horário de Brasília). LOCAL – Saitama Stadium.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.