Daniela Porcelli/CBF
Daniela Porcelli/CBF

Pia lamenta oportunidades desperdiçadas pela seleção brasileira contra a China

Equipe do Brasil perdeu nos pênaltis o título do Torneio Internacional, na cidade chinesa de Chongqing

Redação, Estadão Conteúdo

10 de novembro de 2019 | 16h10

A técnica da seleção brasileira feminina, Pia Sundhage, destacou coisas boas e ruins na atuação de sua equipe diante da China, neste domingo. Após empatar sem gols com as asiáticas, o Brasil foi derrotado nos pênaltis na decisão do Torneio Internacional, realizado na cidade chinesa de Chongqing.

Segundo a sueca, que ainda não foi derrotada desde que assumiu o comando da seleção, o maior problema de sua equipe neste domingo foi não ter aproveitado as oportunidades que criou.

"Estou muito feliz com o jogo contra o Canadá. Marcamos quatro gols e isso é impressionante. Mas a partida contra a China teve coisas boas e outras ruins", disse Pia. "Tentamos construir jogadas no primeiro tempo e elas nos pressionaram, mas não conseguimos lidar com isso. Depois de um tempo, mudamos bastante e, enquanto a China não conseguia pressionar tanto, criamos muitas chances. Estou feliz com isso, mas agora precisamos concluir essas oportunidades."

Em seis jogos sob a batuta da sueca, o Brasil obteve quatro vitórias e dois empates. Porém, já são dois torneios amistosos que ela perde nos pênaltis. O outro foi em setembro, no Pacaembu, diante do Chile - na ocasião, a partida também terminou empatada sem gols. Pia, porém, evitou lamentar o novo revés nas penalidades.

"Eu acho que o resultado foi bom. Não concedemos muitos gols e criamos muitas chances. Se lembrarmos a partida contra a Inglaterra (vitória por 2 a 1), elas persistiram bastante, mas ainda assim criamos muitas oportunidades e a mesma coisa aconteceu aqui (contra a China). Temos a tendência de conseguir encontrar bons momentos, mas precisamos ser mais frias para concluir. Acho que a jornada foi fantástica até aqui e estou animada para o ano que vem", afirmou Pia, que vai tentar classificar a seleção brasileira para a Olimpíada de Tóquio-2020.

A meio-campista Luana, por sua vez, destacou a importância de enfrentar adversários fortes nesta preparação da equipe para os Jogos Olímpicos.

"Foram dois jogos difíceis, que agregaram bastante na nossa preparação. Infelizmente não saímos com o título, mas acho que o mais importante nesta fase é a experiência e a vivência de jogo que a gente adquiriu. Vamos trabalhar em cima desses dois jogos e manter a preparação para os jogos de dezembro", disse a jogadora.

Bia Zaneratto recebeu o prêmio de artilheira da competição, com dois gols, e Bárbara foi eleita a melhor goleira do torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.