Picerni aguarda convite do Peru

O que era apenas uma sondagem há duas semanas pode se tornar um fato concreto. O técnico Jair Picerni, do Guarani, é apontado como um dos mais cotados candidatos para assumir a seleção do Peru. Nesta terça-feira, Picerni ratificou seu desejo de dirigir alguma seleção, mas confirmou que não voltou a ser procurado por ninguém e tem a intenção inicial de manter seu contrato com o clube campineiro, até junho de 2003. Picerni ganhou força após as frustradas tentativas sobre Paulo César Carpegiani, ex-Flamengo e seleção do Paraguai, e Paulo Autuori, que recentemente conquistou o título nacional peruano pelo Sporting Cristal. Os dois teriam formulado propostas consideradas elevadas para o padrão peruano. "No primeiro contato não se falou em dinheiro e nem em outros detalhes", revelou Picerni, desconhecendo o atual estágio das negociações com outros profissionais. Outros nomes importantes também fora descartados como Juan Carlos Oblitas e o argentino Jose Omar Pastorizza. O técnico bugrino teria chamado a atenção pelo trabalho realizado no São Caetano, finalista em dois torneios nacionais e vice-campeão da Taça Libertadores da América. Além disso, conta em seu currículo com a medalha de prata na Olimpíada de Los Angeles, em 1984, pelo Brasil. A preocupação da Federação Peruana de Futebol é montar um time competitivo tanto para as eliminatórias do Mundial de 2006 como também para a Copa América de 2004 que será realizada, justamente, no Peru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.