Picerni descontrolado: Palmeiras sob pressão

O técnico do Palmeiras, Jair Picerni, perdeu o controle emocional na entrevista coletiva após o treino desta sexta-feira no Palmeiras e uma coisa é certa: o time vai entrar em campo sob pressão na partida contra o Paulista, domingo em Araras. Na manhã deste sábado, a equipe treina em Limeira, onde ficará concentrada. O treinador já mostrava desconforto ao falar com repórteres de TV sobre o comportamento extra-campo do atacante Vágner Love, que esta semana foi flagrado na noite paulistana. Afirmou que todos os jogadores têm responsabilidades e não iria vigiar ninguém. Na seqüência, defendeu o direito dos atletas ao lazer, mas ressaltou que passar a madrugada em casas noturnas era uma atitude errada, por afetar o desempenho físico e emocional do atleta. Mas, ao ser questionado pelo repórter Paulo Galdieri, do jornal Folha de São Paulo, da presença do atacante, mais o lateral Lúcio e do meia Diego Souza em uma casa noturna de Bragança Paulista na madrugada desta sexta-feira, o técnico se descontrolou. Picerni saiu da sala de imprensa alterado e, aos berros, chamou Vágner Love e o volante Adãozinho para uma acareação com o repórter, que não soube informar a fonte da informação. ?Tem de ser mais profissional e não falar de ouvir dizer.? Adãozinho afirmou que o quarteto esteve presente em um evento na cidade até 0h30. ?Depois eu fui direto para casa. Os rapazes foram comer um lanche, mas à 1 hora já estavam de volta?, afirmou o jogador. Adãozinho acrescentou que o grupo resolveu dormir em Bragança Paulista, que fica a 83 quilômetros de São Paulo e voltar para a Capital na manhã desta sexta. Após as declarações de Adãozinho, o técnico descontou toda a sua fúria verbal sobre o repórter a quem chamou de ?babaca e tontão?. Ao ser cobrado para ter mais educação, o técnico continuou. ?Isso é coisa para o seu papai e a sua mamãe.? Depois do episódio, nenhum jogador do Palmeiras quis falar com a imprensa e todos viajaram para Limeira. O diretor de Futebol do Palmeiras, Mário Giannini, que estava presente, também não se pronunciou sobre o caso, que teve origem em uma entrevista do investigador da Polícia Civil de Bragança, Jarbas Ubirajara Marzagão Filho à Rádio Bandeirantes no início da tarde desta sexta-feira. Segundo ele, Lúcio, Diego e Vágner estavam no Bar Porkaria?s por volta de 3 horas e não estavam sóbrios. Mais tarde, o gerente da casa, Roberto Fernandes, confirmou a presença de Adãozinho, Vágner e Lúcio após uma homenagem recebida por Adãozinho em Bragança, onde mora sua família. ?Eles estiveram aqui. A casa fecha por volta de 4 horas e acredito que eles saíram por volta de 2 horas.? O gerente afirmou que nenhum dos atletas consumiu bebida alcoólica no estabelecimento. Antes da confusão, no entanto, Picerni já estava aborrecido. Durante as atividades em campo, deu uma bronca nos jogadores que não estavam correspondendo às suas expectativas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.