Picerni é o novo técnico do Guarani

A diretoria do Guarani confirmou, nesta tarde de segunda-feira, que o substituto do técnico Zé Mário, demitido pela manhã, é Jair Picerni, que na semana passada foi demitido pelo São Caetano após perder o título da Copa Libertadores da América. Ele já começa a trabalhar nesta terça-feira, às 15h30, no estádio Brinco de Ouro. Logo após o almoço o técnico definiu os últimos detalhes com os dirigentes. Na verdade ele já tinha sido consultado no final de semana por Sidnei Pavan, conselheiro do clube e com ampla influência dentro do departamento de futebol. As bases do acordo não foram reveladas, mas o técnico deve ganhar em torno de R$ 80 mil por mês. Junto com ele foi contratado o auxiliar Jair Squarizi, seu companheiro no São Caetano. "A vida continua. Recebi uma proposta boa do Guarani, que é um grande clube e resolvi aceitar este desafio. A vida não pode parar e o São Caetano já é passado" comentou, rapidamente, o novo técnico. Esta é a primeira vez que Picerni dirigirá o time campineiro. Em 1984 ele chegou a ser contratado pelo então presidente Leonel Martins de Oliveira. De última hora, porém, aceitou uma proposta maior do Santo André. O fato o deixou "queimado" no clube, tanto que somente agora, 18 anos mais tarde, ele ganha uma chance de trabalhar no clube. Como jogador ele teve uma rápida passagem pelo Brinco de Ouro, em 1974. Na época, o lateral direito foi emprestado pelo extinto Paulista, atualmente Jundiaí Futebol Clube. Seu primeiro objetivo é definir o time para a estréia no Campeonato Brasileiro contra o Atlético Paranaense, domingo, no Brinco de Ouro, em Campinas. O ex-técnico Zé Mário aceitou com naturalidade a sua demissão. Segundo ele, "as chances de continuar no clube dependiam dos resultados nos amistosos". Além disso, segundo o próprio técnico, ele já tinha comunicado aos dirigentes a sua disposição de deixar o clube. "Ia sair de qualquer jeito. Os dirigentes só se anteciparam à minha decisão", disse.

Agencia Estado,

05 Agosto 2002 | 16h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.