Picerni exige o fim dos vexames

O péssimo rendimento do time do Palmeiras no jogo-treino de quinta-feira, na derrota para o Ituano, da Série C do Campeonato Brasileiro, por 1 a 0 na Academia de Futebol foi a última vergonha que o técnico Jair Picerni teve de passar no clube. A decisão de não tolerar mais futebol medíocre e falta de vontade foi anunciada pelo treinador aos seus jogadores na manhã desta sexta-feira. Antes do treino, ele reuniu o elenco no meio do gramado e disse o que espera do time no jogo contra o Vitória, quarta-feira, no Parque Antártica, pela Copa do Brasil, e a partir de sábado, dia 26, estréia da equipe na Série B do Brasileiro, diante do Brasiliense, no Distrito Federal.?Você percebeu que conversei seriamente com eles. Lembrei que antes de aceitar o convite do Palmeiras tinha propostas do Cruzeiro, Flamengo, Internacional, Árábia Saudita e da seleção do Peru. O presidente da Federação Peruana foi falar comigo na minha casa, em Vinhedo. Resolvi vir para cá porque tenho um projeto pessoal. O que perdi lá trás, posso recuperar com títulos aqui. É importante que os jogadores coloquem na cabeça que o Palmeiras não pode passar mais um de ano na Segunda Divisão. O jogo-treino com o Ituano era uma ótima oportunidade para o time mostrar raça. Vamos enfrentar adversários do mesmo nível na Série B. A falta de ?pegada? do time me deixou preocupado?, discursou o treinador, ainda visivelmente irritado.O técnico avisa: já disse ao presidente Mustafá Contursi que o time do Palmeiras é fraquíssimo. ?Eu converso muito com o Mustafá, ele me dá todo o apoio. Me disse para iniciar a Série B com essa equipe. Depois, dentro de um mês, no máximo, vai me dar dois ou três reforços. Tenho certeza de que vou ganhar um meia e um atacante de projeção. Também preciso de mais um zagueiro. Quero jogadores experientes, tarimbados?, decreta, convicto de que terá seus pedidos atendidos.Um dos reforços prometidos pode ser mesmo o atacante França, que não está sendo aproveitado no Bayer Leverkusen. Wagner Ribeiro, empresário do jogador, garante que no final de maio o atacante poderá ser emprestado a um clube do futebol brasileiro e não esconde que já conversou sobre o assunto com Mustafá.Jair Picerni sabe que para prosseguir o seu trabalho com tranquilidade no clube tem de contar com o apoio da uniformizada Mancha Verde. Paulo Serdan, presidente da organizada, e sua turma costumam ser duros com os treinadores palmeirenses que não ouvem seus gritos. Técnico calejado, Jair revela que já teve vários encontros com a cúpula da uniformizada. ?Já conversei com o pessoal da Mancha e também da TUP. Acho que as pressões que eles fazem têm sentido. Os torcedores querem que o time vença?, diz. O técnico só não quis opiniar sobre o protesto que a Mancha Verde vai fazer neste sábado, às 9 horas, em sua sede, na rua Abrão Ribeiro, 503, na Barra Funda.Segundo Paulo Serdan, os torcedores vão malhar um enorme sapo-boi, simbolizando a figura do presidente do clube Mustafá Contursi. O empresário de jogadores de futebol Léo Rabelo ? que segundo os torcedores possue os direitos federativos de vários atletas do Palmeiras e negociou a vinda do lateral-direito Alessandro e do volante Fábio Gomes para o clube ? também será lembrado pela Mancha Verde. ?O bicho que melhor representa o Léo Rabello é o rato. Por isso, vamos malhar um rato bem gordo durante o protesto?, avisa Serdan.Os torcedores prometem estender a manifestação até a Academia de Futebol,, localizada na Marquês de São Vicente, também na Barra Funda. Querem mostrar a irritação com Mustafá e o péssimo momento que o time vive durante a apresentação do volante Marcinho, contratado ao Figueirense, e que está marcada para acontecer após o treino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.