Picerni pede um atacante ao Guarani

O técnico Jair Picerni precisou comandar apenas um treino coletivo no Guarani para detectar um grave problema no elenco: a falta de um centroavante. Esta é a sua grande exigência para a diretoria do clube, que há três semanas promete que vai anunciar a contratação de um atacante. Picerni já explicou o que precisa. "É de um homem de área, que seja referência no ataque, tanto para nosso time como para incomodar os adversários. Não temos esse homem", alertou o técnico. A diretoria já armou até uma estratégia para atender o pedido do técnico. Está tentando firmar duas parcerias ao mesmo tempo. Uma seria com o empresário Juan Figger, que poderia disponibilizar o tão desejado jogador para o clube. A outra seria com uma empresa para patrocinar a camisa do time, ficando com a responsabilidade de pagar o salário do novo contratado. O problema é que estes acordos estão demorando muito para serem fechados e o time já estará sem um especialista na estréia diante do Atlético-PR, domingo, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. O time deve ser definido nesta sexta-feira, após o treino coletivo. Algum as mudanças estão sendo testadas e Picerni não escondeu a disposição de reforçar o meio-de-campo com três volantes. O Guarani já contratou 16 reforços para a disputa do Campeonato Brasileiro. Os dois últimos chegaram na quarta-feira: os volantes Bruno Quadros, do São Caetano, e Otacílio, do Corinthians.

Agencia Estado,

08 Agosto 2002 | 16h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.