Picerni queria mais de seu ataque

Após a classificação do Palmeiras para as semifinais do Campeonato Paulista, o técnico Jair Picerni compensou os dois dias sem falar por causa de uma forte gripe e soltou o verbo: "Não quero desmerecer a Portuguesa Santista, mas o time não soube aproveitar a vantagem de ter um homem a mais. Era jogo para ganhar por uns 5 a 1."Picerni admitiu ter usado uma estratégia agressiva depois de o time encerrar o primeiro tempo em desvantagem. "Dei ordem para cinco jogadores (Muñoz, Vágner Love, Pedrinho, Rafael Marques e, depois, Fábio Gomes) não voltarem para trás em hipótese nenhuma", contou o técnico. No balanço final, o técnico admitiu ter gostado da equipe, mas alertou que o ataque precisa melhorar seu aproveitamento.A notícia de que Luís Fabiano estará fora da disputa pela artilharia do Paulista não foi exatamente um alívio para Vágner Love. "Tem o Robinho que também está na disputa", disse o jogador, que, admite, já sonha ir mais longe. "A gente tem de sonhar alto e o que quero agora é continuar trabalhando para no futuro ter uma chance na seleção brasileira."Melhor em campo, Muñoz foi humilde ao falar de seu desempenho. "É importante quando a gente não faz parte dos gols ir bem nas assistências", disse o jogador.

Agencia Estado,

21 de março de 2004 | 20h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.