Picerni reconhece superioridade do Inter

O técnico Jair Picerni reconheceu que o Palmeiras não merecia mesmo vencer o Internacional neste domingo à tarde no Beira-Rio. Ele falou que mesmo com um jogador a mais em toda a segunda etapa, o Palmeiras não soube criar jogadas ofensivas que pudessem superar o bom sistema defensivo do Internacional. ?O Inter criou duas linhas de quatro jogadores, um bem atrás na defesa e outra no meio-de-campo, e isso dificultou muito a criatividade do nosso time. Não conseguimos superar essa marcação e por isso não merecíamos mesmo vencer o jogo." Picerni também disse que o fato de jogar só com Vagner Love à frente contra uma defesa bem armada como a do Inter, dificultou muito as tentativas de conclusão de sua equipe. Quando isso aconteceu Vagner conseguiu ficar livre no jogo no segundo tempo aí apareceu o Clemer para salvar o Internacional. ?Uma de nossas jogadas fortes são as avançadas dos dois laterais Baiano e Lucio, que também não foram bem executadas. Não conseguiram chegar ao flanco para cruzar bolas para os atacantes que no primeiro tempo era o Vagner Love e na segundo etapa teve a companhia de Rafael Marques, um atacante de 1,90 m de altura que não teve um bom aproveitamento nesse tipo de jogada, ou seja, no jogo aéreo. Mas isso foi mérito do Inter que soube neutralizar bem as nossas jogadas e fez um gol, por acaso no primeiro, quando o Marcos teve a infelicidade de rebater uma bola em cima do Nilmar que rápido como é, passou por ele e fez o gol da vitória." O goleiro Marcos que não atendeu a imprensa no final do jogo por causa de sua viagem para se apresentar à seleção brasileira, confessou no intervalo que não sabe mesmo lidar com esse tipo de jogada quando a bola é atrasada pela defesa para que ela rebata para frente. "Eu sei que não sou bom mesmo nesse tipo de jogada. O que aconteceu foi que me deram uma bola na enforcada e o Nilmar que é muito rápido estava perto da jogada veio em cima de mim e conseguiu aparar o meu rebote, pegou a bola e foi direto para o gol." O atacante Vagner Love que jogou isolado na frente contra a defesa do Internacional achou que o resultado foi justo. Ele falou que teve apenas uma chance no segundo tempo, quando entrou sozinho e o Clemer defendeu com os pés. Sobre o lance que originou o gol do Inter, ele defendeu o goleiro Marcos. "O Marcos tem crédito, é um goleiro pentacampeão mundial e teve a infelicidade de chutar a bola em cima do Nilmar que foi mais rápido do que ele e que se aproveitou da falha para fazer o gol da vitória. Mas não vamos culpar o Marcos pela derrota. Aquele foi um lance isolado e nós é que não soubemos mesmo com um jogador a mais no segundo tempo, não soubemos criar chance para tentar o empate aqui no Beira-Rio."

Agencia Estado,

25 de abril de 2004 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.