Picerni: "Seis degraus para a glória"

?Seis degraus para a glória.? É assim, de maneira muito simples, que Jair Picerni define o que falta para o Palmeiras conseguir voltar à Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Os ?degraus? são as seis partidas do quadrangular decisivo contra Botafogo, Marília e Sport Recife. Na visão de Picerni, o degrau mais difícil será o primeiro. Ou seja: a estréia, contra o Botafogo no Rio de Janeiro no próximo fim de semana. E ele quer vencer. ?O Botafogo é um time forte e que nos complicou demais a vida quando jogamos na primeira fase. Empatamos em 0 a 0 no Parque Antártica. O Levir Culpi conta com jogadores experientes. O Palmeiras terá de mostrar ótimo futebol para voltar do Rio com o resultado que interessa", analisa Picerni, sonhando com uma vitória para repetir a arrancada no início da segunda fase. O treinador destaca a experiência botafoguense porque no íntimo se lembra do quanto foi boa a estréia na segunda fase diante do Santa Cruz em Pernambuco. O time de Péricles Chamusca foi afoito tentando vencer de qualquer maneira e acabou sendo presa fácil. Picerni prevê que não acontecerá a mesma coisa com o Botafogo. A vivência dos jogadores da equipe carioca somada à de Levir Culpi transformará a primeira partida em um duelo decisivo e bastante difícil. Porém, Picerni tem o seu plano definido: explorar a pressão da própria torcida carioca no acanhado estádio de Caio Martins. Ele acredita que como o Botafogo será obrigado por seus torcedores a atacar, poderá ganhar o jogo com o Palmeiras marcando forte e com contra-golpes em velocidade. Aposta ainda que sair na frente no placar seria fundamental para desestabilizar o tradicional rival. Buscando acabar com a ansiedade que domina os jovens jogadores do Palmeiras, Jair apelará novamente para a cidade mineira de Extrema.Após o treinamento desta segunda-feira, o time ficará concentrado até quinta-feira. ?Vou levar teipes de várias partidas do Botafogo para estudar junto com os atletas a melhor maneira de enfrentar esse time. Em Extrema, a concentração será total. Os jogadores entendem que estamos bem perto de conseguir o que queremos. Só dependerá agora da responsabilidade de como vamos encarar esses seis jogos que nos resta.? Picerni tem como trunfo o fato de ter feito a vontade dos jogadores que se diziam ´esgotados´ e que tiveram o fim de semana de folga, não enfrentando o Santa Cruz no sábado. Marcos e Marcinho foram privilegiados com a folga podiam atuar, mas descansaram. Diego Souza e Adãozinho tinham dois cartões amarelos e foram preservados. Lúcio cumpriu suspensão. Munõz está livre das dores na coxa esquerda que o incomodavam. ?Nós não temos problema algum para enfrentar o Botafogo. Pelo contrário. O nosso planejamento físico aponta que nestas seis partidas o Palmeiras estará pronto para render até mais do que fez durante todo o campeonato. Tudo foi calculado. Até agora está dando tudo certo como prevíamos. Chegou a reta final de buscar o que todo o palmeirense sonha desde o ano passado: voltar ao lugar que pertence ao clube, a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro?, discursa Picerni. Ele tem noção também de o quando seria revigorante para a sua carreira se o clube conseguisse mesmo voltar à elite do futebol do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.