Picerni: "Somália falou bobagens"

Preocupado em somar pontos e não criar problemas no São Caetano, o técnico Jair Picerni voltou a minimizar algumas declarações do atacante Somália, após o empate de 2 a 2 com o Fluminense. Para o atacante, que marcou os dois gols do time sexta-feira, no ABC, estaria faltando mais determinação e empenho de todos os jogadores. "Falou bobagem" retrucou Picerni na coletiva e voltou a dizer o mesmo nesta segunda-feira. "Ninguém deve falar nada disso aqui, porque o grupo é muito bom", garantiu. O que ele não quer no grupo é "expulsão boba" como a de Ricardo Lopes, ainda no primeiro tempo, que atrapalhou os planos do time naquele jogo. O titular, Alessandro, ficou fora justamente por cumprir suspensão por expulsão. O técnico, porém, reconheceu que o clube vive um momento diferente do início dos anos 2000 e que a sua maior dificuldade é trabalhar com um elenco muito numeroso, superior a 40 profissionais. "O ideal é trabalhar com 25 a 30 jogadores", acredita. Após o treino físico da tarde, a comissão técnica programou um físico-técnico nesta terça-feira e coletivo à tarde. O objetivo é buscar pontos diante do Paraná, quinta-feira, em Curitiba. Com 41 pontos, o técnico Jair Picerni acha que o time deve pensar em ficar entre os cinco primeiros e não temer pelo rebaixamento.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2005 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.