Picerni torce por final brasileira

Aproveitando a folga até dia 27 de junho, o técnico Jair Picerni recebeu com naturalidade a confirmação do América do México como próximo adversário do São Caetano nas semifinais da Copa Libertadores. Ele só espera que seu time chegue à final e, de preferência, contra o Grêmio, outro representante brasileiro na competição. "Seria bom para o Brasil uma final com são Caetano e Grêmio", avalia Picerni, que aguarda um relatório completo sobre o time mexicano que foi acompanhado de perto por Fred Smania, observador técnico do clube. "Com certeza eu vou ter detalhes de tudo. Daí a gente vê como armar o time para superar o adversário". O América venceu seus dois jogos contra o Morelia, por 2 a 1. As datas e locais dos jogos estão definidos. Dia 10 de julho, no ABC, e dia 17, no México. O critério é o mesmo das fases anteriores: número de pontos e saldo de gols. Em caso de igualdade a vaga será definida na cobrança de penalidades máximas. Foi desta maneira que o São Caetano superou seus últimos dois adversários: Universidad Católica, do Chile, e Peñarol, do Uruguai. A diretoria espera definir no início da semana a prorrogação de contrato do lateral-esquerdo Rubens Cardoso, do Santos, e do atacante Brandão, do Iraty-PR. Seus vínculos acabam dia 30 e a prorrogação deve acontecer até uma semana antes. O prazo mínimo é de 30 dias, embora o desejo da diretoria é de fechar um acordo para que os dois jogadores permaneçam no clube até dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.