Pikachu celebra fase no Vasco e elogia Milton Mendes: 'Assimilamos melhor'

Jogador comemora oportunidades após admitir ter sentido a cobrança de 'lateral-artilheiro'

Estadão Conteudo

28 de março de 2017 | 20h30

O técnico Milton Mendes teve pouco tempo para impor seu estilo de jogo no Vasco, mas em dois jogos até o momento no comando da equipe, conseguiu uma vitória, contra o Madureira, e um empate, com o Flamengo. Coincidência ou não, o lateral Yago Pikachu deixou sua marca nas duas partidas e se tornou uma das principais peças do time sob o comando do novo treinador, após uma primeira temporada no clube bastante oscilante em 2016.

"Essa cobrança de ser 'lateral-artilheiro' pode ter pesado na minha chegada. Eu demorei a me adaptar. No início, fui mais usado na linha da frente. Acabei demorando a conseguir o que eu fazia no Paysandu, mas continuei trabalhando. Disso tudo, o mais importante foi ajudar a equipe nessas oportunidades", considerou o jogador em entrevista nesta terça-feira.

Pikachu aproveitou-se do fato de ser escalado como meia para balançar a rede contra Madureira e Flamengo. E para o jogador, seu sucesso recente sob o comando de Milton Mendes não é ocasional. Ele admitiu que o trabalho do treinador ainda está no início, mas o elogiou em comparação ao antecessor Cristóvão Borges.

"É pouco tempo para diferenciarmos do Cristóvão. Mas assimilamos melhor o trabalho dele, tivemos uma postura de pressionar mais os adversários. Aproveitamos melhor as características dos jogadores. Foi uma necessidade também, porque não vínhamos bem. Aos poucos estamos fazendo isso. Temos que seguir essa caminhada", comentou.

Nesta quinta-feira, o Vasco volta a campo para encarar o Boavista em São Januário e precisa da vitória para ficar mais próximo da vaga às semifinais da Taça Rio. "O Boavista tem um grupo qualificado, com jogadores experientes. Estão brigando também. Precisamos vencer porque queremos também a classificação para semifinal da Taça Rio", disse Pikachu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.