Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Pikachu culpa 'oscilação' por derrota do Vasco de virada em Brasília

Lateral vascaíno marcou gol, mas não evitou tropeço diante do Corinthians por 4 a 1

Estadao Conteudo

29 de julho de 2018 | 14h16

Principal referência atual do Vasco, o meia Yago Pikachu deixou a sua marca e fez a sua parte neste domingo. Mas o time carioca não conseguiu sustentar a vantagem e foi derrotado pelo Corinthians de virada, pelo placar de 4 a 1, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela 16ª rodada do Brasileirão.

+ Romero salva de novo e Corinthians goleia Vasco de virada em Brasília

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

Ao fim da partida, o jogador culpou a recorrente "oscilação" do time de São Januário nas últimas partidas. "Essa oscilação que a gente vem tendo durante todo ano. Não podemos fazer um primeiro tempo muito bom, pressionando o adversário, que não teve nenhuma chance, só aquela bola parada no primeiro tempo, e depois no segundo um jogo abaixo do esperado", comentou o atleta, em entrevista ao canal Sportv.

Depois de dominar o jogo no primeiro tempo, o Vasco caiu de produção na segunda etapa e sofreu quatro gols em apenas 45 minutos. "Não conseguimos fazer praticamente nada, o Corinthians foi muito superior no segundo tempo. E soube aproveitar as oportunidades que teve", constatou o meia.

Para Pikachu, o time carioca precisa superar estas oscilações se quiser reagir na competição. "Essa oscilação não podemos ter num campeonato difícil como esse. Então, quando toma uma virada, fica ainda mais difícil se recuperar", lamentou o meio-campista.

Com o novo tropeço, em jogo em que era mandante, o Vasco estacionou nos 19 pontos, na 11ª colocação. Pelo Brasileirão, a equipe carioca volta a campo no domingo que vem, contra o São Paulo no Morumbi, às 16 horas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.