Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

Pikachu prevê dificuldades no clássico e exalta 'ano maravilhoso' do Vasco

Primeiro desafio na Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, será contra o Botafogo

Redação, Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2019 | 19h04

Campeão da Taça Guanabara e invicto ainda em 2019, o Vasco tem como primeiro desafio na Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, o clássico contra o Botafogo neste sábado, às 19h30, no Engenhão. Yago Pikachu exaltou o "ano maravilhoso" do time cruzmaltino, mas previu dificuldade diante de um rival motivado pelos últimos bons resultados em sequência.

"Estamos muito bem. Até o momento não fomos derrotados em 2019. Todos estão felizes com a conquista da Taça Guanabara. É uma vantagem lá na frente do campeonato. Passamos sem sustos na Copa do Brasil. Fizemos um bom jogo na quarta. Agora teremos um novo desafio. Um clássico, jogo sempre diferente. O Botafogo também vive bom momento, conseguiu vitórias importantes recentemente. Acredito que será um grande jogo e espero que a gente siga vencendo", afirmou Pikachu, autor de três gols nesta temporada.

O lateral-direito, que atua como meia, destacou a inversão dos treinadores nos clubes. Em 2018, Alberto Valentim treinava o Botafogo e Zé Ricardo comandava o Vasco. O primeiro acabou campeão carioca na final justamente diante do hoje botafoguense.

"É um rival conhecido. Os treinadores trocaram de lugar recentemente. O Zé estava aqui, o Alberto estava lá. Nos enfrentamos muito ano passado. Foram semifinais de turno, final do Carioca. Mudaram jogadores, mas acredito que será um jogo muito difícil. O Botafogo vai atrás dos pontos que perdeu na Taça Guanabara. Eles vêm crescendo nas competições, fazendo bons jogos. Um teste bom para os dois times", avaliou.

Questionado sobre o bom desempenho da defesa, que só sofreu quatro gols em nove jogos nesta temporada, Pikachu acredita que estes números são graças à continuidade do trabalho do técnico Alberto Valentim. Segundo o jogador, o entrosamento entre Werley e Castan, essencial para os resultados positivos, se dá pelo tempo maior de trabalho do treinador, que pôde treinar a equipe com mais calma neste ano.

"O Alberto pegou a equipe em 2018 com muita pressão. Os dois homens de zaga, Werley e Castan, estão muito entrosados. Acredito que o tempo de trabalho, sem a pressão de resultados como foi ano passado, foi fundamental. O começo desse ano está maravilhoso porque estamos pensando apenas em jogar e os resultados estão vindo", disse.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Vascofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.