Pinheiro orienta jovens no São Paulo

Na equipe do São Paulo, líder do Campeonato Paulista, com 21 pontos, a badalação está toda em cima da garotada, considerada os novos menudos do Morumbi. Porém, sem muito alarde, quem vem despontando como líder da equipe e orientador dos jovens é o experiente zagueiro Rogério Pinheiro, de 28 anos.Tímido, este carioca, há 6 anos no clube, prefere atuar no feijão-com-arroz, sem inventar dentro de campo e até para dar uma bronca em um companheiro, usa da educação e delicadeza. ?Procuro não expor o atleta para a torcida. Não preciso colocar o dedo na cara para orientá-lo?, ressalta. ?Chego perto dele e converso, tentando acertar o posicionamento. Como jogo lá atrás, tenho melhor visão do campo e percebo os espaços que estamos deixando para o adversário explorar.?Capitão da equipe quando Rogério Ceni está ausente, Pinheiro tem a confiança do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão. ?Ele tem postura e a sua presença já o torna um líder. E para isso não precisa ser o que conversa mais?, comenta. ?Existem jogadores que falam o tempo todo e só saem bobagens. Isso deixa o time intranqüilo.? Na partida de quarta-feira, contra o Botafogo da Paraíba, no Morumbi, pela Copa do Brasil, Pinheiro, com a tarja de capitão, mais uma vez será um dos poucos experientes em campo, já que Rogério Ceni e Belletti estão com a seleção brasileira e Wilson, Reginaldo, Ilan e Gustavo Nery em fase de recuperação de contusão. ?Tentarei motivar o grupo, incentivando-os o tempo todo. Assim, evitaremos o relaxamento natural e a surpresa,? alerta.O modo pacato de falar com os companheiros, disse vir de quando iniciava a carreira, aos 20 anos, no Botafogo do Rio. ?Sempre tive o incentivo dos mais experientes. Hoje que sou maduro, não vou ficar dando broncas, descontando o que não tive em um companheiro.?Porém, nem tudo foi um mar de rosas na carreira do jogador, que faz questão de lembrar que já passou por momentos difíceis. Ficou um ano e oito meses parado por causa de operações no joelho. ?Hoje, o prazer de jogar voltou e a alegria é grande. Estou conquistando tudo o que deixei de ganhar no passado?, lembra, ressaltando a conquista do Paulista de 2000 e o Rio-São Paulo deste ano. ?Deus está sendo justo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.