Érico Leonan|Divulgação
Érico Leonan|Divulgação

Pintado nega que chega ao São Paulo para ter papel político

Novo auxiliar técnico vai atuar na função que já foi de Milton Cruz

O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2016 | 07h00

O ex-volante Pintado teve nesta quinta-feira o primeiro dia de trabalho como auxiliar técnico do São Paulo, função similar à de Milton Cruz, demitido do cargo há duas semanas após 22 anos como funcionário. Bicampeão mundial pelo clube como jogador, Pintado disse que não terá papel político e de informante da diretoria.

"Não sei ser peão. Quem faz as coisas direito não tem o que esconder", afirmou. Ele participará dos treinos ao lado de Edgardo Bauza, que semana passada havia dito que a troca na comissão técnica se deu por escolha política da diretoria. "Sei muito bem me posicionar. A princípio, tenho uma função estrutural, passa muito pelo que pensa a diretoria, mas sempre junto com a comissão técnica", explicou Pintado.

Revelado nas categorias de base do São Paulo, Pintado fez parte de um dos momentos mais vitoriosos do clube. Sob o comando de Telê Santana, o então meio-campista foi campeão Mundial de 1992, da Copa Libertadores de 1992 e 1993, além do Paulista de 1992 (e também 1985). Deixou a equipe em 1993, negociado o Cruz Azul, do México.

Pintado vai ajudar Bauza nas atividades de campo e viajar com o time para compromissos fora de casa. Antes de voltar ao São Paulo, foi técnico e estava no Guarani." O Bauza tem seu corpo técnico, faço parte dele e junto com a comissão técnica do treinador vou trabalhar e conversar diretamente com os atletas. Todos são competentes e especialistas. Ele é um homem do futebol, competidor nato. Agradeço a oportunidade", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.