John Sibley / Reuters
John Sibley / Reuters

Piszczek anuncia aposentadoria da seleção polonesa após fracasso na Copa

Defensor agradece a membros da comissão técnica que trabalharam com ele no time nacional e deseja sorte ao próximo treinador

Estadão Conteúdo

06 Agosto 2018 | 12h13

O defensor Lukasz Piszczek anunciou nesta segunda-feira que não vai defender mais a seleção polonesa. A decisão do jogador do Borussia Dortmund, de 33 anos, se dá apenas algumas semanas após a equipe fracassar na Copa do Mundo da Rússia, sendo eliminada na fase de grupos, apesar de ter sido definida como uma das cabeças de chave.

"Na vida, você às vezes tem que tomar decisões difíceis, mas racionais. Depois de longas reflexões, eu fiz isso. Minha aventura com a seleção chegou ao fim. Por 11 anos sempre orgulhosamente representei a Polônia na equipe nacional principal. Foi um período especial. Eu sempre me lembrarei dele muito bem", escreveu Piszczek em publicação no seu perfil no Instagram.

Convocado para defender a seleção da Polônia nas edições de 2008, 2012 e 2016 da Eurocopa, Piszczek também participou da última Copa do Mundo, mas reconheceu em recente entrevista ao portal de notícias Wirtualna Polska que não estava no auge da sua forma na Rússia.

"Gostaria de agradecer aos torcedores pelo apoio. Treinadores Leo Beenhakker, Franciszek Smuda, Waldemar Fornalik e Adam Nawalka, obrigado pela sua confiança. Sempre tentei aprender com eles o máximo possível, com base na experiência e conhecimento deles. Obrigado a todas as pessoas de cada comissão técnica e meus companheiros de equipe, com quem tive a honra de representar a Polônia nestes 65 jogos com uma águia no peito", acrescentou.

Após o fracasso na Rússia, a Polônia definiu a saída do técnico Adam Nawalka, sendo que Jerzy Brzeczek foi definido como seu substituto e recebeu o apoio de Piszczek em sua despedida. "Vou guardar em minha memória os jogos em que nós demos alegria a todos os torcedores. Desejo muito sucesso para o técnico Jerzy Brzeczek e nossa equipe", concluiu o jogador do Borussia Dortmund.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.