Pitta é denunciado por falso testemunho

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o empresário Reinaldo Pitta por falso testemunho na CPI do Futebol do Senado. De acordo com o MPF, em depoimento prestado na superintendência da Polícia Federal no Rio, no dia 22 de setembro de 2001, Reinaldo Pitta negou ter qualquer relação com a Gortin Corporation. Ele disse desconhecer quem seriam os proprietários da empresa e seu ramo de negócios. A CPI, porém, recebeu um contrato firmado em 1995 entre a Gortin, sediada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas, e o Sport Club Corinthians Paulista, que negociavam o passe do jogador Sergio Ricardo Messias Neves. No documento, Reinaldo Pitta e seu sócio, Alexandre Martins, que recentemente estiveram presos pelo envolvimento no escândalo dos fiscais que desviaram R$ 33,4 milhões para a Suíça, aparecem como os representantes legais da Gortin, proprietária do passe do jogador.A denúncia foi recebida pela 3ª Vara Federal Criminal, que deve decidir se a acolhe ou não. Reinaldo Pitta e Alexandre Martins são procuradores do atacante Ronaldo Nazário de Lima, do Real Madrid, e de mais cerca de 100 jogadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.