Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Pizzi revela orgulho por Chile após empate com Alemanha na Copa das Confederações

Treinador enaltece qualidade do adversário e intensidade dos seus comandados no 1 a 1 obtido nesta quinta-feira

Estadão Conteúdo

22 de junho de 2017 | 20h02

O técnico da seleção do Chile, o argentino Juan Antonio Pizzi, se disse orgulhoso de seus comandados após o empate em 1 a 1, nesta quinta-feira, em Kazan, na Rússia, diante da Alemanha, na segunda rodada da Copa das Confederações. O treinador destacou a intensidade da equipe, mas exaltou o "altíssimo nível" do time adversário.

"Estou orgulhoso de ver que a minha equipe tem a mesma intensidade desde o primeiro minuto e tentar se manter até o minuto 93 (48 do segundo tempo). Mas estamos diante de um adversário poderosíssimo. Foi uma partida de altíssimo nível com duas equipes de propostas muito agressivas, muito sedutoras para jogadores e torcedores. Valorizamos esse ponto pela forma que o conquistamos", enfatizou Juan Antonio Pizzi.

O jogo marcou um recorde pessoal para o atacante Alexis Sánchez. O jogador marcou o 38.º gol com a camisa do Chile - em 113 jogos - e superou seu o ídolo, Marcelo Salas, que até então era o maior artilheiro da história pela seleção nacional.

"Fiquei muito feliz de marcar, contente pela equipe, que se entregou muito. Do lado pessoal, feliz por este gol histórico. Não tenho a dimensão ainda (do feito). É algo que não me dei conta quando entrei em campo", festejou o atacante que atua pelo Arsenal, da Inglaterra.

A seleção chilena está empatada na primeira posição da chave com a Alemanha - ambas têm quatro pontos - e agora enfrentará a Austrália na terceira rodada. O empate garante o Chile nas semifinais da competição.

O Chile tenta conquistar o seu primeiro título de dimensão mundial. O país venceu a Copa América em 2015 - que rendeu a vaga na Copa das Confederações - e a Copa América Centenário, em 2016, nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.