Planos do Palmeiras dependem de Picerni

O Palmeiras de 2004 deve começar a ser definido amanhã, após a última reapresentação dos atletas este ano na Academia de Futebol, pela manhã. A reunião entre os diretores do clube e o técnico Jair Picerni, que estava prevista para hoje, deve ocorrer imediatamente depois das atividades com os jogadores ou, no mais tardar, quarta-feira. Segundo o diretor de Futebol, Mário Giannini, nenhuma novidade no elenco vai ser anunciada até que a situação de Picerni seja definida. "Vamos resolver isto antes de qualquer outra coisa." O dirigente não quis comentar se o clube pretende apresentar proposta com aumento salarial para o treinador que trouxe o Palmeiras de volta à Primeira Divisão do futebol brasileiro. Giannini adiantou que a lista de contratações e dispensas será responsabilidade da comissão técnica. Esta última informação deve ajudar a acelerar a negociação. Picerni deixou claro que sua renovação de contrato não depende somente das cifras a serem oferecidas pelo Palmeiras, mas também da manutenção da maior parte do elenco que disputou a Série B. Entre os possíveis reforços, um deles deve ser um atacante cabeceador, pedido que não foi atendido este ano pela diretoria por limitações financeiras. Enquanto isso, os jogadores que têm contrato até o dia 31 de dezembro aguardam as definições. "Estou esperando o Palmeiras entrar em contato", disse o empresário Oliveira Júnior, dono dos direitos federativos do lateral Lúcio e do meia Elson. Apesar de os jogadores terem manifestado o desejo de ficar no Palmeiras, o empresário deixou claro que existe a possibilidade de ambos deixarem o clube. "Tenho propostas de outras equipes pelos dois, mas só vou revelar depois que negociar com o Palmeiras", disse. Oliveira Júnior admitiu que a temporada no Parque Antártica ajudou a dar mais visibilidade aos dois atletas, mas não concorda com a tese de que eles foram valorizados pela passagem no clube. "Antes de ir para o Palmeiras, o Elson já tinha mercado fora do Brasil, quando ainda jogava no Vitória, e o Lúcio tinha feito um bom campeonato pelo Ituano, quando o time foi campeão paulista." Outros dois jogadores que devem aguardar a definição do futuro de Picerni são o lateral Baiano e o zagueiro Daniel. O primeiro tem procurador e o segundo deve negociar pessoalmente sua permanência ou não no Parque Antártica. O volante Adãozinho também precisa resolver sua situação neste fim de ano. Os direitos federativos do jogador pertencem ao São Caetano e, segundo o diretor de Futebol do clube do ABC, Genivaldo Leal, existem várias opções para se chegar a um acordo com o volante, inclusive a de ele ficar com seus direitos federativos. Situação mais tranqüila é a dos jogadores mais jovens. Apesar da contusão que resultou em uma cirurgia no joelho, o volante Alceu, que até se machucar havia sido titular do Palmeiras em todos os jogos, teve seu contrato renovado com reajuste salarial. O caso foi o mesmo do meia Diego Souza e do atacante Vágner. O atacante Edmílson também vai pelo mesmo caminho e adiantou que, como no caso dos colegas, a compra de uma casa para a família pode fazer parte da negociação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.