Platini diz temer pelo futuro do futebol europeu

O francês Michel Platini advertiu nesta sexta-feira que "luzes vermelhas" estão "piscando" em toda a Europa por conta dos problemas financeiros no futebol. O presidente das Uefa confessou temer pelo futuro do futebol profissional porque clubes estão indo à falência e acumulando dívidas, e os jogadores realizam greves na Espanha e Itália.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2011 | 10h29

"Há um monte de luzes vermelhas piscando", reconheceu Platini, em Mônaco, onde foram realizados os sorteios dos grupos da Liga dos Campeões da Europa e da Liga Europa. "Eu estou com medo do futuro do futebol", disse o ex-jogador.

Platini começou seu discurso avisando que iria dar más notícias, apesar dos torneios de clubes da Uefa serem sucessos globais. "Eu vou dar uma mensagem alarmante", disse. "Não é possível continuar com todas essas falências e dívidas sem sérias consequências".

Nesta sexta-feira, os jogadores italianos anunciaram uma greve para o fim de semana, o que impedirá o início do Campeonato Italiano. Na semana passada, a Espanha passou por paralisação semelhante, que só foi encerrada após acordo na quinta-feira. "Eu não estou confortável com o que está acontecendo na Espanha e na Itália", disse Platini, que defendeu a Juventus. "Se o futebol não pode ir em frente porque os jogadores não estão sendo pagos, isso é uma enorme preocupação".

Platini reiterou que a Uefa vai adotar as regras de fair-play financeiro para conter gastos irresponsáveis dos clubes. "Nós não seremos forçados a dar um passo atrás sobre isso", disse sobre as regras, que vão entrar em vigor a partir de julho de 2012 e poderão deixar clubes fora das competições europeias se não respeitá-las.

No entanto, Platini disse que os 53 países-membros da Uefa também devem adotar regras semelhantes. "Não é apenas a Uefa que deve estar olhando para isso, mas as associações nacionais também", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUefaMichel Platini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.