Ruben Sprich/Reuters
Ruben Sprich/Reuters

Platini é formalmente acusado pela Justiça da Suíça por pagamento da Fifa em 2011

Francês, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação

Redação, Estadão Conteúdo

26 de junho de 2020 | 13h10

Michel Platini está sendo acusado formalmente pela Justiça da Suíça por ter recebido um pagamento de US$ 2 milhões (cerca de 10,8 milhões) da Fifa, em 2011, durante a gestão do presidente Joseph Blatter.

Ex-capitão da seleção francesa, Platini, que na época era presidente da Uefa, é suspeito de ser cúmplice de má gestão criminal, apropriação indébita e falsificação, segundo documentos revelados por investigadores suíços.

Platini, de 65 anos, enviou faturas à Fifa em janeiro de 2011 para receber pagamento por um salário não contratado, ao trabalhar como consultor presidencial no primeiro mandato de Blatter, de 1998 a 2002.

Cinco tribunais, incluindo o comitê de ética da Fifa, o Tribunal de Arbitragem do Esporte e o Tribunal Europeu de Direitos Humanos, foram contra Platini desde que os promotores suíços revelaram a alegação em setembro de 2015. Platini e Blatter foram banidos pela Fifa.

Platini deixou a presidência da UEFA em maio de 2016, depois de o CAS (Corte Arbitral do Esporte, na sigla em inglês) ter decidido o seu afastamento por quatro anos de todas as atividades ligadas ao futebol. Ficou livre da punição em outubro passado e tem plano de retornar ao futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.