PM alerta para clássico de alto risco

A Polícia Militar alerta: a realização do clássico entre Santos e São Paulo, em Mogi Mirim, é considerado de alto risco. Ainda assim, a Federação Paulista de Futebol insiste em manter o jogo para o Estádio Wilson de Barros, às 16 horas do domingo. A assessoria de imprensa da FPF confirmou nesta terça-feira a permanência do jogo no interior.De acordo com o coronel Reynaldo Pinheiro Silva, comandante da PM na região de Campinas, foi recomendada a transferência da partida. "O jogo foi marcado independentemente de qualquer consulta, mas precisamos analisar o que ele representa para a cidade e suas conseqüências."Vários motivos para a não-realização do jogo foram levantados pelo 26º Batalhão de Mogi Guaçu, responsável por Mogi Mirim. Entre eles, a capacidade reduzida de público no estádio (19 mil pessoas), a falta de rotas de fugas em seu entorno e a existência de apenas uma entrada para a cidade. "A sugestão é que o clássico fosse transferido de Mogi Mirim, até para dizer depois que a PM não avisou", disse o coronel. O levantamento foi enviado para a FPF, que não se manifestou até o início da noite desta terça-feira. O presidente da entidade, Marco Polo del Nero, esteve reunido na tarde desta terça-feira com dirigentes do Santos para resolver o impasse e não atendeu a imprensa.Sem chance - Ainda assim, o comandante acredita que é praticamente nula a mudança de local. Caso esse cenário se confirme, a PM de Campinas terá que fazer esforço para garantir a segurança dos torcedores. Como o efetivo de Mogi Mirim não é suficiente, haverá rearticulação da tropa. "Devemos pedir reforço para São Paulo". Mesmo porque, Ponte Preta e Palmeiras jogam no Estádio Moisés Lucarelli, também no domingo, às 18 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.