Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

PM defende torcida única no domingo e alerta para risco de emboscada a flamenguistas

Por questão de segurança, autoridades querem que partida entre Palmeiras e Flamengo só tenha apoiadores da equipe mandante

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2019 | 15h48

A Polícia Militar (PM) de São Paulo afirmou nesta terça-feira que detectou o risco de emboscadas a ônibus, brigas de torcidas e coligações entre facções organizadas no próximo domingo, dia da partida entre Palmeiras e Flamengo, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro. Em nota enviada ao Estado, a PM explicou que por considerar que existe um grande risco de confusões, seria melhor que a partida seja realizada apenas com a presença de palmeirenses no estádio.

A recomendação de torcida única foi oficializada na segunda-feira, em comunicado do Ministério Público (MP), com base nas informações da PM. O pedido assinado pelo promotor Roberto Bacal e encaminhado à Federação Paulista de Futebol (FPF) cita o temor de brigas entre as duas torcidas e pede para que somente palmeirenses possam comprar ingressos. O clube alviverde alega que ainda não foi notificado desse pedido. 

O temor das autoridades é que as provocações e a rivalidade entre Palmeiras e Flamengo possam causar confusões na capital paulista. O time carioca venceu no último fim de semana a Copa Libertadores e o Campeonato Brasileiro. A competição nacional, inclusive, só foi garantida após derrota do time alviverde dentro de casa para o Grêmio, por 2 a 1.

A PM explicou que nos últimos dias, o Serviço de Inteligência do órgão monitorou redes sociais e recebeu informações sobre uma emboscada à caravana de ônibus que traria a torcida do Flamengo do Rio de Janeiro para São Paulo. O veículo poderia ser recebido com pedras. Também há conversas sobre uma possível briga combinada pelas torcidas adversárias.

A apuração da PM mostra também que o conflito pode envolver apoiadores de outras equipes. Uma uniformizada do Flamengo receberia o apoio na capital paulista de uma facção de são-paulinos, com quem se reuniria no centro da cidade. Já o Palmeiras, teria o reforço de integrantes filiados a uma facção do Vasco, com o intuito de se reforçar para possíveis brigas.

Para enfatizar a recomendação de torcida única no jogo, as autoridades relembram que outras partidas recentes entre Palmeiras e Flamengo tiveram confusões. Em 2016, em Brasília, torcedores foram detidos e hospitalizados após confronto. No ano passado, no Maracanã, um ônibus de palmeirenses foi atacado nos arredores do estádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.