PM espera por clássico tranqüilo

Apesar de definir o clássico como um jogo de risco, a Polícia Militar espera que o duelo desta quarta-feira entre São Paulo e Palmeiras seja mais calmo do que o da semana passada. "O Morumbi é um estádio maior, com características diferentes das do Parque Antártica. Isso nos garante um pouco mais de tranqüilidade", disse o coronel Luís Fernando Serpa, que assumiu o comando do 2.º Batalhão de Choque.Ainda assim, o esquema de segurança contará com 350 homens, 50 a mais que o efetivo do primeiro jogo. Destes, 150 ficarão na parte interna do estádio. A principal preocupação da PM é evitar o encontro dos torcedores rivais. Os palmeirenses entrarão pelos portões 2 e 16 - o acesso dos são-paulinos será pelos portões 3, 4, 5, 6 e 15 - e os portadores de deficiência física, pelo 18.A Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM) aumentou seu efetivo de segurança em 120 homens, com atenção especial para a estação Hebraica-Rebouças. O Metrô também terá vigilância reforçada nas estações Anhangabaú e Consolação.Ingressos - Ainda restam cerca de 16 mil lugares para a partida. Até esta terça-feira, foram vendidos 52.572 ingressos, sendo apenas 3.972 para a torcida do Palmeiras.A venda continua nesta quarta, a partir das 11 horas. As bilheterias do Morumbi funcionarão até às 18 horas e os outros pontos, até às 17 horas, menos no Palestra Itália. Restam ingressos apenas para as cadeiras amarelas e para o setor laranja (numeradas e arquibancada térrea).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.